Grupo de Operações com Cães completa 10 anos

Priscila Cavallaro

O GOC (Grupo de Operações com Cães) tem tido um alto índice de aproveitamento em suas operações devido ao bom treinamento dos cachorros policiais da cidade, de acordo com o GCM Marcos Cerruti. O canil da GCM (Guarda Civil Municipal) de Mogi Mirim conta, hoje, com oito cachorros. O treinamento diário acontece no período da manhã, depois de um descanso os cachorros saem para patrulhamento até as 19h. Cerruti, o responsável pelo canil desde sua implementação, conta que os filhotes, que estão sendo preparados para substituir os caninos ativos há mais tempo, estão com sete meses. Os cachorros se aposentam com seis anos e sempre são adotados por algum membro da GCM.

Os filhotes já estão operando. Cada equipe tem três cachorros novos que recebem treinamentos diferentes para cada tipo de operação. Faro de entorpecentes; busca e captura; contenção e patrulhamento de rua. “Os treinamentos são diferentes. Hoje temos uma Border Collie para trabalho social. É uma raça mais dócil, melhor para ser usada em apresentações com crianças”, explica Cerruti. O oficial conta que a outra raça muito usada pelo canil é Pastor Belga de Malinois, por ter características úteis ao treinamento policial como coragem, não se assustar facilmente e escalar árvores. 

Quando a equipe começou o canil, há 10 anos, adestravam cachorros que recebiam de doação. Normalmente eram cachorros bravos demais para manter em casa e o comportamento do animal mudava tanto com o treinamento que, além de se adaptarem para o serviço policial, era possível até devolvê-los ao convívio social.

“O Canil da GCM ficou um bom tempo trabalhando sem a parte social. Quando assumi, pedi para que fosse dado continuidade nesse trabalho. O canil pode fazer 10 apreensões de drogas na semana, que passa despercebido pela população. Mas a criança que participa de um evento com o canil, não esquece. Daqui cinco anos ela vai lembrar. É um trabalho de prevenção do uso de entorpecentes, também”, garante o Secretário Municipal da Segurança Pública, José Luiz da Silva.

Kayra ainda está em treinamento, mas deve atuar futuramente no patrulhamento (Foto: Flávio Magalhães)

TREINAMENTOS
O treinamento do faro utiliza a satisfação que o animal sente ao morder um brinquedo chamado “kong”. Os treinadores associam a vontade do cachorro de achar o brinquedo com o odor dos entorpecentes. “Quando ele acha o “cheiro”, já recebe o brinquedo. Mas só quando for confirmado que achou mesmo, não pode ser indicação falsa. Muita gente acha que os cachorros são viciados em drogas, mas eles são treinados apenas com o odor”, ensina Cerruti. O treinamento de busca e apreensão consiste em ensinar os cachorros a obedecer aos comandos para atacar e parar. “Os cachorros passam a identificar amigos e suspeitos pelo tom de voz do policial”, completa.

Quando o cachorro, em uma operação de busca e apreensão, localiza o que está procurando, late para sinalizar mas ataca também, se não estiver na coleira. Já o treinamento de patrulhamento é condicionar o cachorro a reconhecer a população e ser condicionado a não sentir medo nem atacar em multidões.

Dara foi treinada para agir em situações de contenção e patrulhamento (Foto: Flávio Magalhães)

MODELO
Forças de Segurança de Pirassununga visitaram a estrutura do Canil da GCM em Mogi Mirim, a fim de obterem dados do projeto mogimiriano para a implantação do canil pirassununguense.

Na ocasião, a comitiva conheceu a estrutura do local, as técnicas utilizadas para o adestramento dos cães, como empregar os cães em operações, entre outros assuntos, após serem recebidos pelo secretário de Segurança Pública José Luiz da Silva e o responsável pelo Canil da GCM, Marcos Cerruti.

A equipe de Pirassununga foi representada pelo secretário de Segurança Pública, Paulo Tannus, acompanhado pelo Comandante da GCM Rossi, além de militares do Canil da AFA (Academia da Força Aérea) de Pirassununga.

O cão Athos foi treinado para localizar entorpecentes (Foto: Flávio Magalhães)

Jovens são os que mais morrem no trânsito

Flávio Magalhães

Os jovens são as principais vítimas do trânsito em Mogi Mirim. É o que aponta levantamento feito pela reportagem de A COMARCA com base no Infosiga SP, sistema de dados do Governo do Estado de São Paulo que traz informações sobre acidentes fatais de trânsito. Os números são de janeiro de 2015 a maio de 2019.

Nesse período, foram 84 ocorrências que resultaram em mortes no trânsito de Mogi Mirim. Dessas vítimas, 32 tinham entre 18 e 29 anos, isto é, 38% do total. Outra faixa etária que se destaca nas estatísticas é a de 35 a 44 anos de idade, com 22 vítima fatais, 26% do total.

Os números apontam ainda que, do total de óbitos registrados na cidade, os homens lideram as estatísticas. Em 83% dos casos a vítima era do sexo masculino. A maioria dos acidentes fatais acontecem em rodovias (52%) e no período noturno (40%), ou seja, entre 18h e meia-noite. Na maior parte dos casos (53%), a vítima morre no local do acidente.

Pelos dados acumulados desde 2015 também é possível verificar que os motociclistas são as principais vítimas do trânsito, 32% ao todo. Os motoristas de automóveis aparecem logo em seguida, representando 28%. Já as mortes de pedestres são 18% do total de óbitos no trânsito mogimiriano.

CAMPANHA
Uma nova campanha educativa para motociclistas foi lançada recentemente pelo governador João Doria (PSDB), que também anunciou a criação do programa Respeito à Vida - São Paulo Dirigindo com Responsabilidade. "O programa Respeito à Vida vai garantir à população, por meio de medidas preventivas e educativas, o direito de transitar por vias e rodovias paulistas com segurança", destacou.

Considerando todo o Estado de São Paulo, 42% das vítimas motociclistas são jovens com idade entre 18 e 29 anos. Os homens são a grande maioria, representando 87,5% das fatalidades. Os acidentes estão concentrados nos finais de semana (39%) e no período noturno (52%), e a colisão contra outros veículos é o principal tipo de acidente (52,5%). Nessas colisões, o outro veículo envolvido normalmente é um automóvel (64,3%).

(Foto: Arquivo/A COMARCA)

Editoria: ,

UPA registra pico de atendimentos em maio

Flávio Magalhães

A Unidade de Pronto Atendimento (UPA) 24h, localizada na zona Leste da cidade, tem registrado picos de atendimento recentemente. Segundo dados preliminares da Secretaria de Saúde, quase 12 mil pessoas foram atendidas no local somente no mês de maio. Comparado com o mesmo período do ano passado, o número de atendimentos dobrou.

Para a secretária de Saúde, Flávia Rossi, o aumento no número de atendimentos – em crescente desde janeiro deste ano – se deve a alguns fatores como a epidemia de dengue registrada em Mogi Mirim e a proliferação da gripe e de outros vírus. Diante desse quadro, a Pasta pretende reforçar a chamada atenção básica.

Isso porque a UPA é destinada a atender casos como febre alta, fratura ou cortes com pouco sangramento, infarto ou derrame, suspeita de fratura, crises convulsivas, dentre outros. Ao reforçar o trabalho de prevenção pela atenção básica (na Unidades Básicas de Saúde, por exemplo), a secretaria espera diminuir a demanda pelo pronto atendimento.

Atualmente, também de acordo com os dados preliminares da Saúde, metade dos casos atendidos da UPA não são considerados de urgência ou emergência, de acordo com o protocolo de Manchester. Com isso, a média atual de atendimentos está entre 350 e 400 pessoas por dia. Por esse motivo, segundo a secretaria, não haveria necessidade de descentralizar o pronto atendimento.

Flávia Rossi lembrou também que, para casos de emergência, a UPA possui todos os equipamentos existentes na Santa Casa de Misericórdia, para atendimento de pacientes nessa condição.



PROTOCOLO
O protocolo de Manchester consiste em um sistema de triagem baseado em cinco cores: vermelho, laranja, amarelo, verde e azul, sendo vermelho representando os casos de maior gravidade, e azul os casos de menor gravidade. Esse sistema já é empregado mundialmente, sendo poucos hospitais ou clínicas que não aderiram a esse sistema.


Editoria: , ,

Palestra de Augusto Cury lota o Clube Mogiano

Na última terça-feira, 25, o Clube Mogiano recebeu cerca de 700 pessoas para a palestra de Augusto Cury, intitulada “Seja Líder de Si Mesmo”. O evento foi uma iniciativa promovida pela Associação Comercial e Industrial de Mogi Mirim (Acimm), em comemoração aos 90 anos que a entidade completa este ano.

Em conversa com jornalistas, Cury explicou a importância do tema abordado na palestra. “Aprendemos no ensino convencional as regras da gramática, mas não aprendemos a falar conosco. As pessoas se conectam com milhares pelas redes sociais, mas não se conectam consigo mesmas”, exemplificou. “A mente humana é como um fórum, mas apenas com um promotor de acusação. Assim, não há justiça. Precisamos de um advogado de defesa, pois o seu pior carrasco pode ser você mesmo”, continuou.

Por pouco mais de uma hora e quinze minutos, Augusto Cury prendeu a atenção da plateia que compareceu à sede social do Clube Mogiano. Ao final, a Acimm sorteou 20 exemplares autografados pelo autor entre os presentes, através de um aplicativo.

Augusto Cury foi considerado o autor mais lido da última década no Brasil, pela revista ISTOÉ e pelo jornal Folha de S. Paulo. Recebeu o prêmio de melhor ficção do ano de 2009 da Academia Chinesa de Literatura, pelo livro “O Vendedor de Sonhos”, que foi adaptado para o cinema em 2016, uma produção brasileira com direção de Jayme Monjardim.

Pesquisador na área de qualidade de vida e desenvolvimento da inteligência, Cury desenvolveu pesquisas, sem vínculo com universidades, voltadas à teoria da Inteligência Multifocal. A teoria visa explicar o funcionamento da mente humana e as formas para exercer maior domínio sobre a nossa vida por meio da inteligência e pensamento.



Semáforos recebem novos temporizadores

Os principais cruzamentos da cidade ganharam novos semáforos temporizadores, após recentes iniciativas da Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana. Além disso, a rotatória no cruzamento das avenidas Pedro Botesi e 22 de Outubro recebeu completa implantação de semáforo.

Ainda na sexta-feira da semana passada, dia 21, a Cidade Verde Sinalização Viária, de Junqueirópolis, deu início aos trabalhos, que foram concluídos na última segunda-feira, 24. Foram implantados temporizadores no cruzamento das ruas Padre Roque e Coronel Venâncio Ferreira Alves Adorno e nos cruzamentos das avenidas Brasil e 22 de Outubro e da Avenida Brasil com a Rua Humaitá.

O cruzamento entre a Rua 7 de Setembro e a Avenida Luiz Gonzaga de Amoedo Campos também recebeu o aparelho. Ainda no decorrer da semana, a empresa realizou a instalação de novos equipamentos na ligação viária das Avenidas Pedro Botesi e 22 de Outubro, onde havia apenas uma rotatória. Serão feitos testes antes dos equipamentos entrarem em funcionamento.

No geral, o investimento de R$ 142.019,33 viabilizou cinco novos temporizadores em semáforos e ainda um semáforo completo. A ação é resultado de parceria firmada entre a Prefeitura, o Departamento Estadual de Trânsito (Detran) e o “Movimento Paulista de Segurança no Trânsito”. O valor total do convênio é de R$ 564 mil, além da criação do Comitê Municipal de Segurança Viária.



Editoria: ,

Enfim, começam as obras no Laranjeiras

Foi dado o início em uma das obras mais esperadas no município. Na última segunda-feira, 24, foram realizadas as primeiras ações de limpeza e preparação da área no Parque das Laranjeiras, na zona Leste da cidade, para, na sequência, serem implementadas as obras de infraestrutura.

Os maquinários e equipamentos utilizados no serviço já estão disponibilizados na Rua Francisco Ferreti (antiga Rua 30) pela Construtora Simoso, responsável pela realização das obras no prazo de doze meses.

Nesse período, a Fase 1 das obras beneficiará cerca de mil famílias com amplo sistema de infraestrutura de mobilidade urbana, englobando uma série de etapas, iniciadas com serviços preliminares para, na sequência, começar o nivelamento do solo, a implementação de rede de drenagem pluvial, rede coletora de esgoto, rede de distribuição de água potável, pavimentação asfáltica, calçadas e sinalização viária.

No dia 8 de junho, em evento no bairro da zona Leste, o prefeito Carlos Nelson Bueno (PSDB) assinou o contrato, o que resultou na autorização da regularização da área. Na ocasião, o prefeito ressaltou a importância das obras. “Depois de anos, os moradores do Laranjeiras terão os todos os serviços de infraestrutura que um bairro necessita, desde a rede coleta de água e energia, até o asfaltamento. Ou seja, tudo o que envolve a estrutura viária será implementada no Parque das Laranjeiras”, destacou Carlos Nelson.

ABASTECIMENTO
Com o início das instalações de ligações provisórias em decorrência das obras de infraestrutura no Parque das Laranjeiras, o Saae informou que em determinados períodos do dia poderá faltar água no Parque das Laranjeiras, Jardim do Lago, Mogi Mirim II e parte do Jardim Europa. De acordo com a autarquia, os trabalhos foram executados ao longo da semana.

A iniciativa garantirá o fornecimento de água aos moradores das vias que receberão as obras de infraestrutura no bairro da zona Leste. A recomendação é de uso racional da água até a normalização do abastecimento.


Cinto de segurança e celular resultam em quase 1,7 mil multas em 5 meses

A não utilização do cinto de segurança pelo condutor ou passageiro e o manuseio do celular na direção são as duas maiores causas de autuação em Mogi Mirim. Segundo levantamento da Secretaria de Mobilidade Urbana, foram quase 1,7 mil multas aplicadas para essas infrações de trânsito nos primeiros cinco meses do ano.

Deixar o condutor ou passageiro de usar o cinto de segurança é considerada infração grave, na qual o motorista é punido com cinco pontos na carteira de habilitação e multa de R$ 195, 23. De janeiro a maio, foram 1.093 infrações do tipo em Mogi Mirim, de acordo com os dados divulgados pela Prefeitura.

Quem for flagrado falando ao celular e dirigindo é multado em R$130,17 e soma quatro pontos na carteira de habilitação pela infração média. Já quem manuseia o celular comete infração gravíssima, soma sete pontos na CNH e paga multa de R$ 293,47. Foram 599 infrações do tipo na cidade, em um período de cinco meses.

Dessas 599 multas, 513 foram aplicadas por agentes de trânsito e 86 por Guardas Civis Municipais (GCMs). Vale lembrar que os policiais militares também já têm permissão para multar em Mogi Mirim. Outras infrações registraram um número bem menor de ocorrências. Estacionar em local proibido resultou em 127 multas, enquanto estacionar no passeio, sobre a faixa destinada a pedestre, ciclovia, ciclofaixa ou canteiros ocasionou 123 multas. Avançar o sinal vermelho no semáforo motivou 61 infrações.

CAMPANHA
E é justamente o uso do celular que tem causado maior preocupação. Terceira maior causa de fatalidade no trânsito do Brasil em 2018, de acordo com a Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (Abramet) o uso do celular ao volante aumenta em quatro vezes os riscos de um acidente.

Diante dos riscos e da possibilidade de acidentes e mortes no trânsito mogimiriano, a Secretaria de Mobilidade Urbana, articula, para as próximas semanas, ações relacionadas ao tema, parte do calendário de atividades ligadas à parceria entre a Prefeitura e o Departamento Estadual de Trânsito (Detran), que resultou no convênio junto ao Movimento Paulista de Segurança no Trânsito.

“É necessário o motorista ter a consciência dos malefícios no uso do celular na direção. Estamos falando da vida do motorista, da sua família e dos pedestres, tudo está em jogo. Queremos despertar isso no cidadão e conscientizá-lo sobre os riscos”, alertou a secretária interina de Mobilidade Urbana, Tânia Guimarães.



Editoria: ,
Scroll to top