Após pressão, governo fornece merenda para Etec

A problemática enfrentada pela Escola Técnica (Etec) ‘Pedro Ferreira Alves’ em relação à merenda escolar foi solucionada, momentaneamente, com o envio de 60 quilos de carne e outros insumos e mantimentos por parte do Governo do Estado para a instituição de ensino. Com isso, uma manifestação alusiva ao tema, que estava sendo preparada pelo Grêmio Estudantil da Etec, foi cancelada.

Desde o ano passado, a escola vem enfrentando problemas quando ao volume e aos itens da merenda fornecidos pela Secretaria Estadual de Educação. De acordo com o diretor da unidade mogimiriana, André Luiz dos Santos, o envio dos itens tem como base a média de refeições consumidas pelos alunos. De 1 mil refeições, o Estado passou a fornecer itens para 500 refeições a partir de novembro.

“Quando tem sardinha na merenda, uns 200 comem. Quando tem estrogonofe, 800 comem. Eles tiraram a média e passaram a fornecer pela média. É pouco e a gente pediu para aumentar”, disse. Como o volume continuou baixo, a Etec teve que usar o estoque de reserva para suprir a demanda dos alunos. E o estoque da escola chegou ao final na quarta-feira, 10.

Com isso, não havia insumos para a merenda de quinta-feira, 11. “Só tinha arroz. Nós tivemos que comprar ovo e óleo com recursos da APM (Associação de Pais e Mestres) para garantir o almoço”, apontou o diretor. Na quinta-feira, a Etec serviu arroz, farofa e ovo como merenda para os alunos. “E já tínhamos programado com os alunos de que eles trariam marmita de casa para sexta-feira”, acrescentou.

Mesmo com a solução para o último dia útil da semana, André Luiz acionou o vereador Cristiano Gaiotto (PP), na tentativa de encontrar alternativas para o problema. Gaiotto estava a caminho de São Paulo e aproveitou sua passagem pela capital paulista para pedir ajuda ao deputado estadual Rafa Zimbaldi para a questão da merenda na Etec 'Pedro Ferreira Alves'.

Segundo Gaiotto, Zimbaldi atendeu a solicitação e intermediou conversas do vereador com a Secretaria Executiva da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, com o Centro de Paula Souza e com a Secretaria Estadual de Educação. Como resultado, o governo enviou recursos na quinta-feira para que a Etec providenciasse a compra de ingredientes para a merenda de sexta-feira e preparou o fornecimento de mantimentos que servirão a escola por 15 dias.
“Hoje [sexta] chegaram 60 quilos de carne logo cedo, umas 6h30, e a tarde e amanhã [sábado], devem chegar mantimentos para a merenda”, informou o diretor. Com a chegada dos insumos, o Grêmio decidiu cancelar a manifestação. ‘Eles ponderaram e viram que o ato já não teria mais sentido”, disse André Luiz.

REQUERIMENTO
Gaiotto citou que o problema já era de conhecimento do Governo do Estado. Na segunda-feira, 8, após o Grêmio Estudantil pedir a ajuda dos vereadores para a questão da merenda, ele, Robertinho Tavares (Patriotas) e Sônia Módena (PP) elaboraram um requerimento, que foi aprovado ainda na sessão de segunda, pedindo ao Governo de Estado e à Secretaria de Desenvolvimento Econômico, melhorias na alimentação servida aos alunos da Etec.

“Quando estive quarta-feira em São Paulo, o requerimento já estava de posse dos representantes governamentais”, comentou. O vereador elogiou o comprometimento de Zambaldi com a Etec mogimiriana. “Desde que soube do problema, se dedicou para que houvesse uma solução. Inclusive, conseguiu a autorização para que, enfrentando novamente esse tipo de problema, a direção da Etec acione o governo para envio de recursos para compra da merenda”, destacou.

Para que não seja uma solução apenas pontual, Gaiotto agendou uma audiência com o deputado e também com a Secretaria de Desenvolvimento Econômico. Ele estará acompanhado do diretor da Etec e de membros do Grêmio Estudantil para tratar não apenas de uma solução definitiva para a questão da merenda, mas, de outros assuntos da escola. “Já que a nossa escola está recebendo uma atenção especial, vamos reforçar alguns pedidos, principalmente, para a melhoria estrutural’, adiantou André.

O vereador ainda quer ir além. Ele pretende apresentar um requerimento na Câmara, pedindo ao prefeito Carlos Nelson Bueno (PSDB), que estude a possibilidade de firmar convênio com a Etec para que o município passe a fornecer a merenda para os alunos da instituição de ensino.

Segundo ele, a problemática da merenda não aconteceu apenas na unidade de Mogi Mirim. “Também atingiu as Etecs de Itapira e de São Sebastião de Grama, que são as que não tem convênio com os municípios para fornecimento da merenda. As unidades que possuem convênios, não tiveram esse tipo de problema”, justificou.

Estoque de merenda da Etec acabou na quarta-feira, dia 10

1º de Maio em Mogi terá show de Lauana Prado

A Secretaria Municipal de Cultura e Turismo divulgou na última terça-feira, 9, a programação para as comemorações do 1º de Maio, feriado do Dia do Trabalho. Desta vez, as atividades serão concentradas no Espaço Cidadão, que receberá apresentações musicais, artísticas e culturais ao longo de todo o dia.

A grande atração será o show da cantora sertaneja Lauana Prado, considerada a nova aposta no cenário musical brasileiro, e que somente com a faixa “Cobaia” possui mais de 100 mil visualizações de seu clipe no Youtube. Ela deve subir ao palco em Mogi Mirim por volta das 20h.

A Corrida do Trabalhador abre a programação, logo no início da manhã, com partida prevista às 8h30, do Teatro de Arena, percurso em direção ao Complexo Esportivo “José Geraldo Franco Ortiz”, o Zerão, e chegada ao Espaço Cidadão.

A apresentação da Banda Lyra Mojimiriana, com direito a performance na plataforma da Estação Educação, abre a agenda musical. Na sequência a Orquestra Municipal de Viola Caipira se apresenta ao público com seus acordes e entonações ligadas a clássicos sertanejos do passado.

A Banda Hitmia, formada por profissionais de Mogi Mirim e Mogi Guaçu, leva ao público parte de suas músicas autorais e sucessos do cenário brasileiro, antecedendo o grupo Entre Amigos, sucesso no Domingo do Samba, organizado todo primeiro domingo de cada mês no Teatro de Arena.

Uma das duplas de maior tradição na música sertaneja local, Mogiano e Mogianinho, presentes na comemoração de 200 anos da cidade, voltam cinco décadas depois para levar seus sucessos e o melhor da moda caipira ao público presente.

Ainda na linha sertaneja, Roberty e Ruan se apresentam após Mogiano e Mogianinho. Com carreira consolidada no Estado de Minas Gerais, alçam voos mais altos pelo Estado de São Paulo e ganham destaque no ramo musical.

Lauana Prado encerra as festividades, com um show com até duas horas de duração. Além de obter destaque no Youtube e nas vendas de suas unidades musicais, Lauana viu sua música “Cobaia” integrar o Top 50 do Spotify Brasil e Deezer e fazer parte das principais playlists de músicas sertanejas em ambas as plataformas, com cerca de 50 milhões de streams.

O secretário de Cultura e Turismo, Marcos Antônio Dias dos Santos, o Marquinhos, celebrou a oportunidade de, mais uma vez, oferecer um dia de lazer aos mogimirianos. “É uma forma de homenagear o trabalhador, tão sofrido no dia a dia. Esperamos retribuir com a parte de lazer e entretenimento”, frisou.

LAZER
Junto à programação musical, a Prefeitura oferece ao público corte de cabelo gratuito, aferição de pressão, glicemia e apresentações circenses durante os intervalos de cada show. Brinquedos infláveis e passeio gratuito de trenzinho farão a diversão das crianças.

O Clube do Fusca de Mogi Mirim e o Grupo Excluídos, especialista em motocicletas clássicas, irão expor seus veículos ao longo de todo o dia. Haverá praça de alimentação e a realização da Feira Noturna na quarta-feira, dia do evento. A segurança fica a cargo da Guarda Civil Municipal (GCM).

Lauana Prado sobe ao palco às 20h no Espaço Cidadão

Editoria: ,

Benefícios por tempo de serviço são estendidos a todos os servidores

Foi aprovado na última segunda-feira, 8, na Câmara Municipal um projeto de lei de autoria do prefeito Carlos Nelson Bueno (PSDB) que estende aos servidores públicos admitidos após 2006 os adicionais por tempo de serviço conhecidos como biênio, quinquênio e sexta parte. Os funcionários municipais contratados antes de 2006 já possuem tais benefícios.

Aproximadamente 1,1 mil servidores públicos terão direitos aos adicionais a partir da data da promulgação da lei, já que ela não terá efeito retroativo. Com isso, os funcionários admitidos depois de 2006 também terão um acréscimo de 4% incorporado ao valor do salário a cada dois anos, 5% a cada cinco anos e, ao chegar a 24 anos e seis meses de carreira pública, a sexta parte (remuneração dividida por seis).

Em todas as situações, o benefício é automático, desde que a prestação de serviço seja ininterrupta. A maioria dos servidores, cerca de 1.400, já são beneficiados pela iniciativa. Em 2006, o próprio prefeito Carlos Nelson – numa medida que ele hoje considera “extrema, porém necessária” – determinou a suspensão desses adicionais por tempo de serviço para os servidores que seriam admitidos dali em diante, o que acabou gerando discrepâncias de salários em funções idênticas.

A ideia inicial de Carlos Nelson para diminuir a diferença salarial entre os servidores municipais era propor o congelamento do biênio para os funcionários admitidos antes de 2006 e a concessão do quinquênio e da sexta parte aos funcionários que não tinham esse benefício. No entanto, após reuniões com vereadores da base aliada e com o setor de Finanças do Município, o prefeito voltou atrás e optou por estender os adicionais a todos.

SINSEP
O presidente do Sindicato do Servidores Públicos Municipais de Mogi Mirim (Sinsep), Luciano Ferreira de Mello, parabenizou os funcionários pela conquista. “Está se fazendo Justiça, igualando a categoria”, celebrou. Mello atribuiu a concessão dos benefícios a mobilização da classe, definida em assembleia realizada na semana passada.

“Graças a adesão e a participação dos servidores isso foi possível”, frisou. No último dia 1º, as galerias da Câmara Municipal registraram um grande número de funcionários públicos, que acompanharam a leitura do projeto de lei. “Isso prova que a categoria unida é mais forte”, concluiu Mello.

EQUIPARAÇÃO 
Outro projeto de lei enviado pelo prefeito Carlos Nelson e aprovado pela Câmara é sobre a alteração da referência salarial, para mais, em alguns cargos, como merendeiras, serventes, inspetores de alunos, porteiros, vigias, monitores, recepcionista, ajudante geral, dentre outros. O objetivo é efetivar um salário superior ao salário mínimo nacional vigente, atualmente em R$ 998,00. A equiparação salarial apresentada pelo Executivo permitirá que a remuneração mensal desses servidores passe a ser de, no mínimo, R$ 1.089,89. Os guardas civis municipais, por sua vez, tiveram seus salários equiparados aos agentes de trânsito, enquanto os auditores fiscais tiveram a remuneração equiparada aos advogados do Município.

Também foi aprovado pela Câmara Municipal o projeto de lei que institui o plano de carreira e salários da Guarda Civil Municipal. A demanda da categoria era antiga e a votação reuniu dezenas de membros da corporação nas galerias do Poder Legislativo. O texto da nova lei cria cinco categorias para os GCMs: Distinta, Especial, 1ª Classe, 2ª Classe e 3ª Classe. Essa divisão não se dará por hierarquia, já que não há distinção dentro da corporação, mas servirá como base para ascensão e progressão de carreira, com aumento de salário de um nível para o outro.

Paralelamente, também foi aprovada a proposta de reajuste salarial aos servidores municipais. Seguindo critérios orçamentários, em acordo com as finanças do município, será concedido aumento em 2% no salário, com efeito retroativo a 1º de março. A medida vale para servidores públicos municipais ativos, inativos e pensionistas da administração direta e indireta.

Guardas municipais acompanharam votação do plano de carreira; no mesmo dia, outros benefícios foram aprovados na Câmara Municipal

Santa Casa estava 'devastada', diz interventora

Flávio Magalhães

“A impressão que a gente tem é o de um lugar devastado, como se tivesse passado um tsunami”. O relato da interventora Rosa Iamarino dá conta da situação de precariedade estrutural encontrada pela Prefeitura ao assumir a gestão dos serviços públicos de Saúde na Santa Casa de Misericórdia.

Logo nos primeiros dias, a Prefeitura se viu obrigada a realizar os consertos nos aparelhos de ar condicionado da UTI (Unidade de Terapia Intensiva) e do centro cirúrgico, além de reparos no elevador. Na área clínica foram restabelecidos os exames laboratoriais no período noturno. Anteriormente os pedidos eram autorizados somente durante o dia.

“As pessoas já estavam consertando algumas coisas do próprio bolso, para poder trabalhar”, afirmou Rosa. “Nós tivemos de comprar insumos de maneira geral, do papel higiênico ao material cirúrgico”, completou. Desde que assumiu a gestão dos serviços públicos de Saúde, a Prefeitura vem conversando com médicos, funcionários e fornecedores, a fim de regularizar a situação encontrada no hospital.

A interventora lembrou ainda que os funcionários estavam trabalhando sem receber, mas que a folha de pagamento referente a março, vencida no último dia 5, já sob intervenção da Prefeitura, foi paga integralmente. Foram cerca de R$ 700 mil e mais R$ 200 mil referentes aos encargos trabalhistas como INSS e FGTS. Os médicos devem ser pagos nos próximos dias.

O prefeito Carlos Nelson Bueno também comentou dos problemas para gerenciar a Santa Casa. “Vocês não têm noção do tamanho do imbróglio que é assumir a Saúde dessa forma. Eu estou doente”, desabafou. “O buraco é mais embaixo. Eu estou absolutamente perplexo pelas dificuldades que temos pela frente”, ressaltou.

Carlos Nelson afirmou que o desafio da Prefeitura agora é “duplamente importante”, ao precisar “consertar um hospital endividado que não nos pertence” e abastecer esse hospital com os pacientes vindos das Unidades Básicas de Saúde (UBSs). “Há seis anos fiz a intervenção. Agora a Justiça determinou a intervenção novamente. Quanto tempo se perdeu? Quanto recurso se desviou?”, questionou.

Atendimento público está sob intervenção da Prefeitura desde o início do mês

Sessão de Câmara acaba em bate-boca

Flávio Magalhães

Foi tenso o clima entre alguns vereadores depois do encerramento da sessão legislativa da última segunda-feira, 8. Após discursos na tribuna sobre o Parque das Laranjeiras, bairro da zona Leste que deve receber obras de infraestrutura da Prefeitura ainda neste ano, Tiago Costa (MDB) buscou tirar satisfações com Robertinho Tavares (PATRI) e discutiu com Sônia Módena (PP).

O primeiro a abordar o tema, ainda durante a sessão, foi Robertinho. “Hoje é fácil algum vereador dizer que vai fazer algo no Laranjeiras, difícil é ser vereador e andar num bairro em que não foi trocada uma lâmpada”, disse na tribuna, em referência ao mandato anterior do prefeito Carlos Nelson Bueno (PSDB), quando não foram realizados investimentos no loteamento irregular. “Meu grande compromisso como político é o Parque das Laranjeiras. O dia em que for asfaltada a última rua, estarei com a minha missão cumprida”, completou.

A fala de Robertinho foi interpretada como uma crítica indireta aos vereadores do MDB, Tiago Costa e Moacir Genuário, que na semana anterior, inclusive, estiveram no bairro da zona Leste a convite do colega de Câmara Marcos Gaúcho (PSB). Ao retornar à tribuna, Moacir respondeu. “Não é politicagem o que eu e o vereador Tiago fazemos”, destacou. “A realidade é essa: os R$ 19,950 milhões que vieram para asfaltar o Laranjeiras foram através de um intermediário meu e do Tiago Costa”, enfatizou, citando o deputado Baleia Rossi (MDB). “Tem que deixar de vaidade e reconhecer a conquista de outros vereadores”, disse ainda. 

Logo depois, Tiago Costa também fez uso da palavra. Sem citar Robertinho, o vereador do MDB subiu o tom das críticas. “Estão pegando carona no trabalho que nós fizemos, enganando o povo”, declarou, também fazendo referência ao empréstimo de quase R$ 20 milhões para as obras no Parque das Laranjeiras, que, dentre outros nomes, teve apoio do deputado Baleia Rossi (MDB). “É fácil fingir que está ao lado do povo, ficar mamando aqui 16 anos, enganando a população! Políticos profissionais! Velhas raposas enganando o povo”, emendou, já aos gritos na tribuna. “A verdade prevalece, por mais que as raposas velhas queiram pegar carona”, repetiu.

No último discurso da noite, Robertinho voltou à tribuna. O vereador pregou a união da Câmara Municipal. “Jamais vou ficar brigando com vereador aqui, pois amanhã precisaremos um do outro. Não vou perder meu tempo com isso, não”, ressaltou. “Antes de ser vereador, sou cristão. Sou católico, mas sou muito chamado nas igrejas evangélicas. Jamais teria coragem de ir lá ser uma pessoa e aqui [na Câmara] ser outra. O que sou aqui, sou na minha comunidade”, disse.

Sem citar Tiago Costa, Robertinho respondeu ao discurso do colega. “Mas se acham que eu vou ficar gritando para conseguir algo, não vou. Política se resolve na conversa e no diálogo”, afirmou. Já ao final, ironizou o termo “raposas velhas”, utilizado no discurso anterior pelo vereador do MDB. “Sou torcedor do Cruzeiro. E o símbolo do Cruzeiro é a raposa”, finalizou.

Após esse discurso, a sessão foi encerrada, por volta das 22h50. Ainda dentro do plenário, Tiago Costa buscou tirar satisfações com Robertinho, chamando o colega de “falso cristão” e dizendo repetidas vezes que o vereador da zona Leste “engana a população humilde”. Robertinho tentou evitar uma possível discussão, mas o emedebista insistiu nos questionamentos.

Já próximo à escadaria que dá acesso à saída do prédio da Câmara Municipal, Robertinho questionou. “Do que você está falando, Tiago?”. O vereador do MDB respondeu. “Do Laranjeiras!”. Foi quando a vereadora Sônia Módena tentou convencer Robertinho a descer as escadas, para evitar que a discussão se prolongasse. Nesse momento, ela também virou alvo das críticas de Tiago, o que deu início a um bate-boca.

Sônia foi chamada de “mentirosa” pelo parlamentar emedebista. “Você não tem a mínima moral para falar nada”, rebateu Sônia. “Você sabe muito bem o que você precisa saber, nem vou te criticar”, disse ainda a vereadora. “Qual a sua moral? A de enganar o povo lá”, respondeu Tiago. “Eu que engano, né?”, retrucou Sônia. “Claro que é!”, reafirmou o vereador, antes de ser contido pelos colegas Moacir Genuário e André Mazon (PTB), enquanto Sônia era orientada por sua assessora parlamentar a também encerrar a discussão.

Tiago Costa discutiu com Sônia e Robertinho ao término da sessão


CONSEQUÊNCIAS
A reportagem de A COMARCA apurou que Robertinho Tavares deve entrar com uma representação no Conselho de Ética do Poder Legislativo contra Tiago Costa, por quebra de decoro parlamentar. As medidas que podem ser tomadas contra o vereador que for enquadrado pelo Conselho de Ética vão desde advertência por escrito até perda temporária do mandato ou cassação do mandato.

Para A COMARCA, Tiago Costa disse estar “tranquilo” com a representação que será apresentada por Robertinho. “A Constituição Federal é clara, a imunidade parlamentar é na circunscrição do município e no exercício do mandato”, explicou. “Não retiro o que eu disse. Sei bem o que falei e vou provar que ele [Robertinho] engana as pessoas mais humildes”, completou.

O vereador do MDB, que negou ter chamado o colega de “falso cristão”, também afirmou que ficou irritado devido as falas de Robertinho sobre religião. “Ele usou minha crença para me atacar, atingiu minha fé”, considerou. Para A COMARCA, Robertinho negou que estivesse falando de Tiago Costa nesse momento. “Eu fiz um discurso para me defender, falando sobre mim. Em 15 anos, nunca usei a tribuna para atacar ninguém”, ponderou.

Robertinho ainda declarou que evitou discutir com Tiago Costa para “preservar a imagem” da Câmara Municipal. “Ele estava alterado. Acredito muito que ele poderia me agredir fisicamente”, afirmou. Por outro lado, Tiago contestou essa versão. “Jamais levantei um dedo para ninguém, não tenho histórico de agressor. Minha arma é a palavra”, frisou.

Santa Casa retoma serviços paralisados

Flávio Magalhães

Sob intervenção da Prefeitura desde a semana passada, por ordem da Justiça local, a Santa Casa de Misericórdia retomou nos últimos dias alguns serviços que estavam parados ou funcionando parcialmente. Um deles é o setor de Ortopedia, que, de acordo com informações da Secretaria da Saúde, está em pleno funcionamento, abrangendo desde atendimentos ambulatoriais a procedimentos cirúrgicos.

Já a UTI neonatal, que fechou as portas semanas antes da intervenção, deve voltar a funcionar na próxima segunda-feira, 15. A Prefeitura informou ainda a plena reativação do Pronto Socorro (PS), inclusive com a realização de cirurgias, e a aquisição de remédios e insumos para o funcionamento da UTI adulto.

O hospital também se prepara para retomar as cirurgias eletivas. Atualmente, quatro dos seis centros cirúrgicos estão em funcionamento para as operações de urgência e emergência, sendo duas realizadas por plantão. Essas informações foram repassadas à imprensa e a vereadores da Câmara Municipal durante um balanço apresentado na tarde da última quarta-feira, 10.

Mesmo apresentando um saldo positivo, a secretária de Saúde Flávia Rossi ressaltou que ainda prossegue tomando conhecimento da situação encontrada na Santa Casa, desde as condições financeiras até o levantamento patrimonial e a estrutura dispensada aos funcionários e médicos. A análise é essencial para o completo funcionamento do hospital.

A Prefeitura também tem trabalhado para manter as referências – espécie de credenciamento concedido ao município pelo Estado. A referência estende os atendimentos aos demais municípios nas especialidades de ortopedia, neurologia e nos serviços de nefrologia e UTI neonatal. “Se Mogi Mirim deixar de ser referência, os nossos munícipes passarão a ser atendidos em outras cidades”, explicou Flávia Rossi.

Desde o início da intervenção, a equipe designada pela Prefeitura, mantém contato com o sindicato da categoria de funcionários hospitalares, com a DRS (Divisão Regional de Saúde), seguindo orientação do TCE (Tribunal de Contas do Estado), prestando contas ao MP (Ministério Público) e direcionada pela decisão judicial.

Flávia Rossi apresenta saldo positivo, mas destaca que ações precisam continuar

2º Emprega Fatec será no dia 17

Pelo segundo ano consecutivo, a Faculdade de Tecnologia (Fatec) “Arthur de Azevedo” realizará o evento “Emprega Fatec”. Será no próximo dia 17 de abril, uma quarta-feira. O evento tem por objetivo principal orientar pessoas desempregadas da comunidade sobre como buscar qualificação profissional, como buscar por oportunidades de trabalho e como se preparar para entrevistas e processos seletivos.

Entre as atividades propostas nesta segunda edição do “Emprega Fatec” estão uma palestra com profissionais de RH orientando sobre o mercado de trabalho na região e dando dicas de como se portar numa entrevista de emprego ou processo seletivo e o lançamento do “Banco de Talentos” pela Associação Comercial e Industrial de Mogi Mirim (Acimm).

Haverá ainda oficinas práticas nos laboratórios de informática com o intuito de conhecer ferramentas de busca de oportunidades na mídia e, principalmente, conhecer a página do “Escritório de Carreiras” da Fatec Mogi Mirim e o LinkedIn.

Também estão programadas orientações sobre como preparar um currículo, apresentação dos cursos superiores de Tecnologia oferecidos gratuitamente pela Fatec de Mogi Mirim, como forma de capacitação profissional, e apresentação do calendário do processo seletivo vestibular da faculdade, com foco no período de inscrições para isenção/redução da taxa do vestibular.

O evento acontecerá no campus da Fatec de Mogi Mirim, à Rua Ariovaldo Silveira Franco, 567, das 08h30 às 11h e das 14h às 16h. Os pré-requisitos para participar do evento são ter concluído a 3ª série do Ensino Médio e estar desempregado.

Serão disponibilizadas 100 vagas e as inscrições deverão ser realizadas pelo próprio interessado, na Secretaria Acadêmica da Fatec de Mogi Mirim, na próxima quinta e sexta-feira, dias 11 e 12 de abril, das 9h às 11h e das 13h às 15h, apresentando o original do Histórico Escolar do Ensino Médio, Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS) – que contenha a página do último registro. A participação é gratuita.


Editoria: , ,
Scroll to top