Desassoreamento do Zerão deve começar

Enfim, a revitalização do Complexo Esportivo do Lavapés deve começar. A Santa Terra Construtora, de Araras, venceu a licitação e deve promover os serviços de desassoreamento do córrego e lagos do Zerão. O valor do contrato é de aproximadamente R$ 1,5 milhão.

A contratação prevê ainda a revitalização das margens, do córrego e dos taludes das lagoas, instalação de gradil de ferro, preparo de solo e plantio de grama. O prazo para a execução dos serviços será de até seis meses, a contar da data de expedição da ordem de serviço. A fiscalização dos serviços ficará a cargo da Prefeitura.

Os lagos do Complexo Lavapés já passaram por serviços de desassoreamento em 2000, 2008 e 2010. Dessa vez, no entanto, há um agravante. De acordo com a Prefeitura, existe assoreamento nas duas lagoas do Zerão, o que exigirá um trabalho diferenciado em função do local, da profundidade e de outras interferências.

O Complexo Esportivo “José Geraldo Franco Ortiz” possui uma área total de quase 148 mil m2 e conta com pista de Kart, quadras poliesportivas, academia ao ar livre, ciclovias, teatro de arena e uma extensa área verde, além de abrigar a sede da Lyra Mojimiriana.

Empresa Santa Terra Construtora, de Araras, venceu licitação e deve iniciar obras (Foto: Arquivo/A COMARCA)


PROBLEMAS
O prefeito Gustavo Stupp (PDT) foi multado em 160 Unidades Fiscais do Estado de São Paulo (Ufesps) por descumprir determinações do Tribunal de Contas do Estado (TCE) referentes a licitação para revitalização do Complexo Esportivo do Lavapés, o Zerão. O valor da pena equivale a R$ 3,4 mil e foi aplicada pelos conselheiros do tribunal.

A multa é referente a uma representação da Alfalix Ambiental contra a concorrência pública para serviços de desassoreamento do córrego e lagos do Zerão e revitalização da área. Após analisar o pedido da empresa, o TCE decidiu pela suspensão do edital de licitação. A medida foi comunicada à Prefeitura.

A licitação foi anulada pelo Governo Municipal. Ainda assim, o conselheiro Dimas Eduardo Ramalho considerou que houve desobediência ao TCE por parte do prefeito Stupp, uma vez que o município não deu satisfações ao tribunal, sequer enviando à corte os documentos solicitados. A postura da Prefeitura caracterizou infração a lei.

Por Flávio Magalhães

1 comentários:

  1. ficou muito carooo, esse valorr, e acredito e afirmo que a metade vai para os bolços dos ladroes na prefeitura de mogi mirim ne!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!1

    ResponderExcluir

Scroll to top