Estiagem deste inverno ficou longe das maiores da história

A sensação é que o inverno de 2015 estava sendo dos mais rigorosos em termos de falta de chuva. Em parte pelo dias quentes e sem temperaturas muito baixas nas madrugadas, mas principalmente por causa crise hídrica que tomou conta das grandes cidades, afetando o abastecimento de água de muitas cidades e a todos com o aumento das contas de energia elétrica. A falta de chuva virou uma verdadeira síndrome na mídia nocional.

Mas o inverno deste ano está longe de ser dos mais secos da história, e apresentou um volume de chuvas pouco abaixo das médias históricas.

Atual período de estiagem não é tão severo se comparado a anos anteriores (Foto: Flávio Magalhães/A COMARCA)

De acordo com as observações feitas na Estação de Tratamento de Água do Morro Vermelho e na nova estação metrológica do Ciiagro em Mogi Mirim, pela Defesa Civil, em agosto choveu 27mm³, o que equivale a 27 litros de água por metro quadrado, para media de 30mm. Em percentual é muito menos que a média, mas a diferença significa um dia de chuva como a última quinta-feira. E mais em 25 anos, desde 1964 choveu menos que este volume no mês e em 10 não choveu nada.

Somando as chuvas de junho a agosto, o total chegou a mais de 70 mm e isso é muito mais do que o registrado nas grandes estiagens para um período de 90 dias na cidade ao longo dos ultimo 50 anos.
Em 1985, por exemplo, nestes mesmos meses choveu apenas 27mm. E em outros 15 anos chove menos que este volume. Nas há períodos ainda mais secos, como em 1988, que registrou entre junho e setembro apenas 48mm. E apenas 8mm entre julho e setembro, portanto nos mesmo 90 dias.

Por Ricardo Piccolomini de Azevedo

Nenhum comentário:

Leave a Reply

Scroll to top