Para conter crise, Stupp deve cortar até 50 cargos de confiança

O corte de gastos chegou ao centro do Governo Municipal. O prefeito Gustavo Stupp (PDT) está trabalhando na exoneração de aproximadamente 50 cargos comissionados e no rebaixamento das funções e dos salários dos secretários municipais. As medidas ainda não foram confirmadas oficialmente pela Prefeitura.

Leia mais: Para economizar, Stupp 'fecha' Prefeitura

A expectativa, porém, é de que a lista dos demitidos seja divulgada nos próximos dias e que os comissionados deixem a Prefeitura a partir da próxima segunda-feira, 21. Também é previsto pela Administração Municipal a suspensão das Funções Gratificadas (FGs) para diversos servidores de carreira do município.

Especula-se que o vice-prefeito Gerson Rossi Júnior (PPS) deixaria o cargo na Secretaria de Saúde juntamente com seus indicados políticos e que o secretário Leonardo Zaniboni (SD), eleito vereador, pode adiantar seu retorno à Câmara Municipal.

Governo Stupp aplicará nos próximos dias a mais dura medida contra a falência dos cofres públicos (Foto: Arquivo/A COMARCA)

Atualmente, segundo A COMARCA apurou, o Governo Stupp conta com 83 funcionários de confiança, de livre nomeação pelo chefe do Executivo. Esses cargos custam mais de R$ 400 mil aos cofres públicos de Mogi Mirim, o que representa quase 5% da folha de pagamento, no limite estabelecido por legislação municipal.

A demissão em massa dos funcionários comissionados é a mais recente e severa atitude da Prefeitura para conter a atual crise financeira que atravessa. Anteriormente, o Poder Executivo já havia anunciado a suspensão dos desfiles de 07 de Setembro e 22 de Outubro, além da redução do horário de funcionamento dos prédios municipais.

A cobertura completa dessa notícia estará na edição de sábado, 19, do jornal A COMARCA.

Da Redação

Nenhum comentário:

Leave a Reply

Scroll to top