MP aciona Gaeco para investigar 'organização criminosa' envolvendo Stupp

O promotor de Justiça de Mogi Mirim, Rogério Filócomo Júnior, vem solicitando apoio ao Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público Estadual (MPE) para investigar “suposta organização criminosa” envolvendo o prefeito Gustavo Stupp (PDT) e seus secretários municipais.

O auxílio seria na investigação de crimes cometidos contra a Administração Pública, uma vez que as ferramentas da Promotoria mogimiriana já teriam se esgotado, segundo Filócomo. Através do Gaeco seria possível aprofundar a apuração dos fatos por meio de interceptação telefônica, por exemplo.

Promotor Rogério Filócomo quer aprofundar investigações sobre crimes na Prefeitura (Arquivo/A COMARCA)

O Gaeco é um grupo de atuação especial criado pela Procuradoria Geral de Justiça em 1995, que tem como função básica o combate a organizações criminosas e se caracteriza pela atuação direta dos Promotores na prática de atos de investigação, diretamente ou em conjunto com organismos policiais e outros organismos.

Recentemente, o Gaeco cumpriu mandados de busca e apreensão na casa do prefeito de Indaiatuba, Reinaldo Nogueira (PMDB), na sede da prefeitura e em empresas da cidade. Na casa de Nogueira, policiais militares apreenderam a quantia aproximada de 1,5 milhão em notas de reais, dólares, euros e pesos chilenos.

Por Flávio Magalhães

Nenhum comentário:

Leave a Reply

Scroll to top