Perigo da Febre Maculosa obriga ações da Prefeitura

A presença de capivaras no Complexo Esportivo “José Geraldo Franco Ortiz”, no Lavapés, obrigou um trabalho de ações integradas de vigilância, controle, conscientização e prevenção da população quanto a possibilidade de incidência de Febre Maculosa Brasileira no município.

No mês de setembro, a Superintendência de Controle de Endemias (SUCEN) enviou um relatório solicitado pela Prefeitura, informando que a área tem predisposição para a doença, devido a presença das capivaras, que são animais hospedeiros do carrapato-estrela, transmissor da doença.

Presença de capivaras no complexo esportivo do Zerão traz preocupação sobre febre maculosa (Foto: Arquivo/A COMARCA)

A pesquisa acarológica, realizada em 21 e 31 de agosto, constatou que a área é predisposta já que o local possui grande presença de humanos e foram encontrados carrapatos nos animais. O relatório aponta que será mantida a classificação como ‘Área Predisposta’ até que seja realizada pesquisa sorológica para subsidiar a reclassificação do local.

É importante informar que não há nenhum risco à população, porém, cuidados devem ser tomados por aqueles que frequentam o Lavapés. Evitar caminhar, sentar ou deitar em áreas com avisos de infestação por carrapatos (que serão colocados na área); cobrir o corpo com roupas longas e claras; além de vistoriar o corpo minuciosamente, a cada duas ou três horas em busca de sinais de picada de carrapatos.

A SUCEN deverá assessorar tecnicamente para o planejamento e acompanhamento das ações educativas, direcionadas aos diferentes públicos, independente da classificação das áreas. O trabalho está sendo realizado pela Secretaria de Sustentabilidade Ambiental, com o apoio dos demais setores públicos municipais.

SINTOMAS

As pessoas devem procurar atendimento médico se apresentar sintomas como febre associada a dor de cabeça, dores musculares, dores nas articulações, fadiga, falta de apetite, dor abdominal, náusea, vômito e aparecimento de marcas vermelhas pelo corpo, no período de dois a 15 dias após ter frequentado área ou ter encontrado sinais de picada no corpo.

Também é importante relatar ao profissional de saúde que pode ter sido picado por carrapatos. Esta informação pode facilitar o rápido diagnóstico para a doença, inclusive a utilização de medicação adequada enquanto aguarda-se o resultado do Instituto Adolfo Lutz.

Por Marcelo Gotti

Nenhum comentário:

Leave a Reply

Scroll to top