Lago do Lavapés começa ser revitalizado

Há cinco anos sem manutenção e degradado pela ação do tempo e da natureza, o lago do Lavapés, localizado no Complexo Esportivo “José Geraldo Franco Ortiz” e um dos cartões postais de Mogi Mirim, começa a sofrer revitalização.

Durante a última semana, iniciaram-se os serviços de desassoreamento no lago. Em 2007, a lagoa menor recebeu o mesmo serviço e, em 2010, os dois lagos tiveram os detritos retirados da água.

O trabalho foi inciado pela limpeza do córrego que atravessa o complexo, com a retirada de lama e areia que ficaram acumulados, com o auxílio de uma retroescavadeira.

Serão investidos quase 1,5 mi na revitalização e na retirada dos bancos de areia que se formaram no córrego e nas duas lagoas do espaço esportivo. A responsável pelo serviço é a empresa Santa Terra Construtora Eireli – EPP.

Empresa Santa Terra já iniciou os trabalhos no Zerão (Foto: Marlene do Carmo/Prefeitura de Mogi Mirim)

Além do desassoreamento do córrego e das lagoas, será realizado ainda a revitalização e paisagismo de todo o complexo. As obras consistem na remoção de areia, terra e demais partículas que se desprendem das margens ou que são trazidas com as chuvas.

A remoção será efetuada através de equipamentos mecânicos, com graglines e escavadeiras hidráulicas e por equipamentos de sucção adequados, desagregador de fundos e hidrojato.

O objetivo da ação é melhorar a vazão dos lagos, de modo a evitar que enchentes sejam causadas, além de contribuir com a melhoria da qualidade e da oxigenação da água, que afeta diretamente o ecosistema.

Após o desassoreamento, a empresa contratada deverá executar o serviço de revitalização das margens do córrego e das lagoas, com o preparo do solo, plantio de gramas, instalação de gradil de ferro e recuperação das áreas que forem degradadas em decorrência dos serviços.

A destinação e transporte dos resíduos que forem retirados também ficarão por conta da empresa. O término das obras é previsto para seis meses, dependendo das condições climáticas.

NECESSIDADE
Os serviços foram necessários uma vez que nos últimos anos o volume de sedimentos arrastados com as chuvas tem aumentado expressivamente, ocasionando o acúmulo de partículas e total assoreamento do lago menor, próximo à Rodovia SP-147, originalmente construído para conter as partículas trazidas pela chuva. Com isso, o material particulado passou a extrapolar a barreira de contenção, causando o assoreamento da lagoa maior.

Por Marcelo Gotti

Nenhum comentário:

Leave a Reply

Scroll to top