Márcia Róttoli rebate acusações de superfaturamento

A secretária de Educação Márcia Róttoli refutou as acusações de superfaturamento na compra de kits de música e leitura direcionados a estudantes da rede municipal de ensino. “Jamais iria comprar com preço acima do mercado”, afirmou para a reportagem de A COMARCA.

Leia mais: Vereadora denuncia suposto superfaturamento de R$ 800 mil

Classificando a denúncia da vereadora Luzia Cristina Côrtes (PSB) como “absurda” e “ridícula”, Márcia reiterou que mantém uma postura íntegra a frente da Secretaria de Educação. “Eu faço pesquisa de preço de tudo”, garantiu.

Nas acusações de Luzia, a Prefeitura pagou bem acima do valor de mercado pelos produtos da “Coleção Palavra Cantada”. Cada unidade custou R$ 155 aos cofres públicos, mas a vereadora encontrou na internet e em papelarias da cidade preços entre R$ 42 e R$ 59.

"Jamais iria comprar com preço acima do mercado", rebateu Márcia sobre acusações de Luzia (Arquivo/A COMARCA)

Ao todo, foram gastos quase R$ 1,3 milhão na aquisição de mais de oito mil kits. Nos cálculos da vereadora, como a Prefeitura teria pagado aproximadamente R$ 100 a mais em cada unidade, o superfaturamento seria de R$ 815 mil.

Márcia, contudo, rebateu essas informações. A secretária de Educação mostrou para a reportagem de A COMARCA que a editora Melhoramentos, em sua página na internet, cobra R$ 297,50 pelo kit “Palavra Cantada”. O Governo Municipal, portanto, teria pago quase metade do valor.

“Não é um livrinho qualquer”, contestou Márcia, afirmando que Luzia enganou-se na pesquisa de preços e na acusação contra a Prefeitura. “Não é o projeto educacional que nós compramos”, reforçou, em referência ao material apresentado pela vereadora de oposição. O caso está no Ministério Público.

Por Flávio Magalhães

Nenhum comentário:

Leave a Reply

Scroll to top