Tarifa de ônibus vai a R$ 3,50

A tarifa do transporte público no município passará a custar R$ 3,50 a partir de terça-feira, 01. O decreto do prefeito Gustavo Stupp (PDT) oficializando a medida é publicado na edição de hoje, 28, do Jornal Oficial de Mogi Mirim. O novo valor corresponde a um aumento de 13% em relação aos R$ 3,10 cobrados atualmente na catraca.

O pedido de reajuste foi feito em junho pela Santa Cruz Transportes, que pedia uma tarifa de R$ 3,72. A Secretaria de Planejamento e Mobilidade Urbana recalculou o valor em R$ 3,50, o que foi posteriormente aprovado pelo Conselho Municipal de Transito e Transportes (CMTT) e encaminhado para promulgação pelo gabinete do prefeito.

“É inevitável o aumento da tarifa”, afirmou a secretária municipal Beatriz Gardinalli. As justificativas para o aumento foram apresentadas em audiência pública realizada na noite da última terça-feira, 24, no Centro Cultural de Mogi Mirim. Os R$ 3,50 que serão cobrados na passagem de ônibus são para manter um sistema de transporte público que custa R$ 707 mil à Santa Cruz.

Nova tarifa é para manter sistema de transporte público funcionando em Mogi Mirim (Arquivo/A COMARCA)

Do custo total, 27% são para manter a frota circulando. Outros 12,5% são provenientes de licenciamento, seguro e depreciação dos veículos (atualmente são 22 ônibus e dois micro-ônibus). Já os salários dos funcionários representam 43% dos gastos. Tudo é dividido entre os passageiros que pagam pelo transporte público.

Um dos fatores que contribuem para o atual valor da passagem é o alto índice de gratuidade no sistema de transporte coletivo. Conforme A COMARCA informou na edição do último sábado, 21, 30% dos usuários de ônibus não pagam pela tarifa. Outros 20% se utilizam de vale transporte, enquanto 12% são estudantes e recebem desconto. No final das contas, apenas 23% dos passageiros pagam integralmente a passagem.

Para tentar estancar a gratuidade, o Governo Municipal já admite rever alguns benefícios. Mogi Mirim deve passar a seguir apenas a legislação federal. Isso implicaria, por exemplo, no fato de que apenas idosos acima de 65 anos teriam direito a andar de ônibus de graça. Atualmente, no município, basta ter 60 anos para reivindicar esse direito. As mudanças devem passar primeiramente pela Câmara Municipal.

Por Flávio Magalhães

Nenhum comentário:

Leave a Reply

Scroll to top