Secretaria de Saúde é denunciada por má gestão

O Conselho Municipal de Saúde (CMS) encaminhou ao Governo Federal uma denúncia de má gestão dos recursos públicos de Mogi Mirim na Secretaria de Saúde. O pedido é de que seja feita uma auditoria nas contas do município. “Chegamos ao limite”, avaliou a presidente do CMS, Rosemary Fátima Silva, em coletiva à imprensa.

A denúncia foi enviada ao Departamento Nacional de Auditoria do SUS (Denasus), que na semana anterior recebeu um ofício do promotor Rogério Filócomo Júnior também solicitando com urgência uma auditoria nas contas públicas municipais. Foi a primeira vez que o CMS pediu uma auditoria nas contas da Secretaria de Saúde.

Presidente do CMS informou que denúncia foi parar no Denasus (Arquivo/A COMARCA)

“Se continuar assim, as contas da Saúde vão ficar completamente comprometidas”, alertou Rosemary. Uma prestação de contas do setor referente ao segundo quadrimestre de 2015 apontou um gasto superior a R$ 25,5 milhões na secretaria. Destes, R$ 10 milhões foram apenas com folha de pagamento e encargos sociais.

Os serviços terceirizados compreendem o Consórcio Intermunicipal de Saúde (R$ 1,1 milhão), aluguel de bens móveis (R$ 516 mil), locação de imóveis (R$ 33 mil), aluguel de máquinas e equipamentos (R$ 91,6 mil), serviços hospitalares e laboratoriais (R$ 467 mil), publicidade e propaganda (R$ 100 mil), telecomunicações (R$ 127,8 mil), serviços gráficos e editoriais (R$ 190 mil), dentre outros em quatro meses.

Procurada, a Prefeitura afirmou que “acredita que é de grande valia que essa auditoria seja realizada de forma periódica, a cada cinco anos, para o controle das contas. Do resultado da auditoria podem surgir muitas soluções para que o sistema de saúde de Mogi Mirim melhore ainda mais”. A última auditoria, segundo o Governo Municipal, ocorreu em 2010.

Por Flávio Magalhães

Nenhum comentário:

Leave a Reply

Scroll to top