Alunos da Fatec fazem ‘maratona tecnológica’

Estudantes do curso de Análise e Desenvolvimento de Sistemas (ADS) da Faculdade de Tecnologia (Fatec) “Arthur de Azevedo” participaram de uma “maratona tecnológica” no último dia 30. Boa parte dos alunos permaneceu na instituição das 8 às 20 horas em pleno sábado.

Foi a primeira edição do DevDay (sigla inglesa para “dia dos desenvolvedores”, em tradução livre) realizada pela Fatec. O evento consistiu em uma série de palestras sobre o mercado de Tecnologia da Informação (TI) e uma competição entre alunos (chamada Hackathon) com o objetivo de desenvolver um projeto com o tema “Saúde Pública – combate ao Aedes Aegypti segue como grande desafio”.
O tema do Hackathon foi mantido sobre segredo e revelado apenas no DevDay. Participaram, além dos alunos da própria Fatec Mogi Mirim, estudantes das Faculdades Santa Lúcia, Maria Imaculada e Unicamp. Ao todo, foram oito equipes de quatro integrantes cada.

Boa parte das equipes se concentrou em desenvolver um aplicativo para celular capaz de receber denúncias de focos de Dengue, em interação direta com a Secretaria de Saúde. Foi o caso das equipes de William Rodrigo da Silva, 25, de Mogi Mirim, e Breno Henrique de Souza, 21, de Estiva Gerbi.
“O projeto é baseado no Waze [um dos maiores aplicativos de trânsito e navegação do mundo baseado em comunidade], a pessoa tira uma foto para alertar sobre um possível foco do mosquito”, explicou William sobre seu projeto. Breno, que teve com sua equipe uma ideia parecida, destacou a interação com o Poder Público. “Os agentes de saúde podem ir direto ao ponto, ao invés de verificar todo um perímetro”.


A equipe que venceu o Hackathon, formada pelos estudantes André Gustavo Silva Lovo, Eliasibe Pereira Pannunzio Júnior, Luis Coêlho e Rodrigo Ribeiro Fuini, desenvolveu um API (sigla em inglês para Interface de Programação de Aplicativos, em tradução livre) para reunir informações de aplicativos como os de William e Breno.

Outro ponto elogiado por estudantes foi a programação de palestras do DevDay. “Eu estava em dúvida sobre qual linguagem de programação seguir”, disse o estudante Ariel Simão, 19, de Mogi Mirim, um dos que permaneceram por 12 horas na Fatec. “Tirei minhas dúvidas e ainda pude conhecer algumas empresas da região”, destacou.

De acordo com os alunos ouvidos por A COMARCA, os palestrantes complementaram o conteúdo das salas de aula e trouxeram novidades. “Há uma visão diferente, para que possamos enxergar que há vários caminhos na profissão”, afirmou Francisca Pereira da Silva, 20, natural de Jacutinga (MG), que acompanhou a palestra sobre segurança de softwares.

Já Aline Cavalcante da Silva, 25, ressaltou como as palestras evidenciaram que a internet está no cotidiano das pessoas comuns. “São informações importantes, te dá ideias sobre um pouco de tudo”, disse. Os estudantes puderam, por exemplo, conhecer de perto a funcionalidade de um drone (veículo aéreo não tripulado).

O contato com empresas também entusiasmou os alunos. “Se eles vieram para cá, não vieram a toa, vieram porque têm interesse em nós”, afirmou Ana Paula Martins, 21, de Mogi Guaçu. “Isso demonstra que querem contratar”, concluiu.

O balanço do DevDay foi altamente positivo, de acordo com o professor coordenador do curso de ADS, Luiz Henrique Biazotto. “Já estamos pensando num possível evento para o ano que vem”, revelou. Biazotto também destaca a realização do Hackathon, método utilizado por algumas empresas de TI para contratar seus funcionários.

O diretor da Fatec, André Giraldi, tem a mesma avaliação e considera que o desafio agora é colocar em prática os aplicativos desenvolvidos pelos estudantes.

Nenhum comentário:

Leave a Reply

Scroll to top