'Eterna Promessa' chega às bancas em parceria com A COMARCA

O livro-reportagem “Eterna Promessa – os caminhos tortuosos dos moradores do Parque das Laranjeiras”, de autoria do jornalista Flávio Magalhães, chega às bancas em uma promoção do jornal A COMARCA. Os leitores do maior veículo de comunicação de Mogi Mirim terão a oportunidade de adquirir a obra por R$ 25.

Os pontos de venda são as bancas São José, do Sardinha, do Cabral, São Benedito, do Natal e 09 de Julho, além do próprio escritório do jornal A COMARCA, localizado na Rua Paissandu, 272, no Centro de Mogi Mirim. A quantidade de exemplares disponíveis é limitada, por isso o leitor interessado deve aproveitar essa oportunidade o quanto antes.

“Eterna Promessa”, publicado pela Editora Ixtlan, traça um panorama completo sobre o Parque das Laranjeiras, loteamento irregular de um milhão de metros quadrados localizado no extremo leste de Mogi Mirim.

O autor Flávio Magalhães durante o lançamento do livro-reportagem, em março deste ano
Resultado de um Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) para a Faculdade de Jornalismo da PUC-Campinas, o livro-reportagem relata o cotidiano de uma população marginalizada, condenada a um ciclo de miséria, que vive sem o mínimo de infraestrutura básica há mais de três décadas. “São histórias de guerreiros e guerreiras que batalham pelos seus diretos, cada qual com sua particularidade”, define o autor.

Outro grande mérito do trabalho foi a ampla pesquisa documental, que permitiu um embasamento preciso sobre o complexo e conturbado processo de formação do Parque das Laranjeiras, que chegou a ser anulado nos anos 1980. “O loteamento foi uma grande tragédia anunciada”, acredita Magalhães. “Houve muita negligência do Poder Público durante todos esses anos”, conclui.

Para o processo de apuração do livro-reportagem, foram consultados diversos documentos oficiais de Mogi Mirim. A importância desses registros é evidenciada principalmente pela certidão que aponta a liberação de ao menos 204 lotes caucionados do Parque das Laranjeiras no momento de sua fundação, durante o governo de Ricardo Brandão. De posse desse dado, foi possível confrontar as versões do ex-prefeito em entrevista.

O levantamento de informações incluiu ainda um exame das ações movidas pelo Ministério Público contra os loteadores do bairro. Uma entrevista com o promotor público local, Rogério Filócomo Júnior, acerca do tema, foi realizada. Claudio Rafacho, proprietário da Emprelotes [empresa que loteou o Laranjeiras], também deu sua versão dos fatos.

Todo esse trabalho está em um livro-reportagem que privilegiou um modelo que, embora não linear, é capaz de relatar a trajetória do Parque das Laranjeiras de uma forma que proporciona ao leitor total entendimento dos fatos. Em suas 100 páginas, há ênfase nas fotografias, que foram valorizadas pelo tratamento em preto e branco e pela impressão em página inteira.

Nenhum comentário:

Leave a Reply

Scroll to top