PM anuncia ofensiva contra o crime


A recente onda de assaltos que vem aterrorizando os moradores da Zona Rural de Mogi Mirim motivou o 26º Batalhão da Polícia Militar a planejar uma verdadeira ofensiva contra a criminalidade. Com o apoio da Guarda Civil Municipal (GCM), a ideia é implantar um policiamento comunitário integrado.

“É uma inovação, vamos usar Mogi Mirim como projeto piloto”, declarou o Major Mello Araújo. “Se der certo, pelo menos nas oito cidades do comando do batalhão será implantado”, afirmou, explicando que a ideia pode ser levada até ao secretário estadual de Segurança Pública, como modelo.

O policiamento comunitário integrado funcionará por duas abordagens. As chamadas visitas de impacto devem ocorrem sempre que os moradores acionarem a polícia por ocasião de um furto, roubo ou ocorrência similar. A ideia é transmitir uma sensação de segurança aos munícipes.

Representantes da PM se reuniram com o prefeito Gustavo Stupp

Já as visitas comunitárias serão realizadas pela PM com o objetivo de conhecer melhor as famílias que residem na Zona Rural e, consequentemente, realizar um policiamento na área. “Em Itapira deu resultado, os índices de violência quase zeraram”, garantiu o Capitão Luciano Peixoto, coordenador do projeto em Mogi Mirim.

Para efetuar esse policiamento na área rural, além de duas equipes da GCM, a Polícia Militar selecionará soldados identificados com o setor e que atuarão através da Diária Especial por Jornada Extraordinária de Trabalho Policial Militar (Dejem), que permite aos policiais militares trabalharem voluntariamente em suas folgas, com direito a uma remuneração adicional. 

“Vamos ter que nos adaptar à vida deles”, explicou o Capitão Peixoto. “É um trabalho de formiguinha, mas que a gente acredita que dará certo”, completou. O policiamento comunitário integrado será iniciado na semana que vem. Ao mesmo tempo, a PM incentivará uso de redes sociais para criação do programa “vizinho solidário” na Zona Rural.

Para colocar o projeto em prática, o Major Mello esteve em Mogi Mirim na última quinta-feira, 09, quando conversou com o secretário municipal de Segurança Pública, Luciano Ferreira de Mello, e com o prefeito Gustavo Stupp (PDT). “O crime se organiza, então as forças de segurança precisam se unir e trabalhar juntas”, afirmou.

Stupp colocou-se a disposição e incentivou a ação da PM em conversa com os comandantes da instituição. “Se a Polícia Militar, em parceria com a Guarda Municipal, não cuida da segurança da cidade, quem vai cuidar?”, questionou Major Mello. “Não tem como recuar, é apertar cada vez mais o crime”, encerrou.

Nenhum comentário:

Leave a Reply

Scroll to top