Venda de lâmpadas incandescentes está proibida

A partir de sexta-feira, 01, se torna proibida em todo o país a venda das antigas lâmpadas incandescentes, aquelas mais antigas, que com a chegada das fluorescentes iniciaram um período de declínio. A regra vale para fabricação, importação e comercialização. O governo quer com esta medida fomentar o uso de lâmpadas mais eficientes e econômicas.

Esta substituição vem sendo feita de forma gradativa com base na potência (watts) do produto. A retirada das lâmpadas teve início a partir de 2012 com potência igual ou superior a 150W. Um ano depois entraram na mira aquelas com potência acima de 60W. Em 2014, de 40 a 60W. A regra fixa a eliminação de potências menores até o dia 30 de junho.

Aqui na cidade, em alguns pontos de venda ainda foi possível encontrar. O comerciante Benedito Padovan, da mercearia de mesmo nome localizada na Vila Dias, ainda tinha algumas delas. “Acho que até quinta-feira todas estarão comercializadas”, comentou. Padovan disse que a lâmpada de 40W é vendida a R$1,99. Uma halógena de mesma potência custa pouco mais de R$ 5,00. Padovan disse que não seria nenhuma surpresa se o governo prorrogar o prazo. “E quem tem grandes estoques, vai jogar fora?”,questiona.

O comerciante Benedito Padovan, da mercearia de mesmo nome localizada na Vila Dias

Na loja Galpão Mix, na região central, o produto não existe mais faz tempo, segundo o colaborador José Maurício Marquesi. Ele conta que o produto mais parecido, a lâmpada halógena, tem substituído as antigas lâmpadas incandescentes como opção por um produto mais em conta. Mas, advertiu que este é um mercado em constante modificação.

“As lâmpadas de LED estão baixando seu custo pouco a pouco e imagino que dentro de mais um tempo estarão mais popularizadas”, acredita. Ele mostrou produtos novos que chegaram ao mercado, mais eficientes, mas também mais caros. “O mercado se sofistica e traz sempre novidades que acabam seduzindo que está reformando ou construindo”, finalizou.

Nenhum comentário:

Leave a Reply

Scroll to top