Mogi Mirim adia estreia no ‘Vail Chaves’

O torcedor do Mogi Mirim Esporte Clube vai ter que esperar mais do que o previsto para poder acompanhar o time jogando em casa. Isso porque o estádio “Vail Chaves” não irá abrigar aquela que seria a partida de estreia diante da torcida no Campeonato Paulista da Série A2, na quarta-feira, 01, às 17 horas.

O duelo do Sapão da Mogiana diante do Velo Clube ocorrerá no mesmo dia e horário, mas no estádio “Major José Levy Sobrinho”, na cidade de Limeira, a 50 quilômetros de Mogi Mirim. Como na terceira rodada, o time mogimiriano vai a Rio Claro jogar contra os donos da casa, a primeira partida no “Vail Chaves” deve acontecer somente no dia 11, contra o Barretos.

Quem não gostou da notícia foi o técnico Marcelo Veiga. “Na verdade, são três partidas fora de casa”, avaliou. “Por mais que sejamos os mandantes, o campo acaba sendo neutro”, declarou aos jornalistas. “Mas são situações que a gente tem que passar por cima”, ressaltou o comandante do Sapo.

De acordo com a diretoria do Mogi Mirim, a decisão de transferir o confronto diante do Velo Clube foi para que as obras de manutenção do gramado do “Vail Chaves” sejam finalizadas de forma integral. Após os dois primeiros estágios de manutenção, o palco dos jogos do Sapão passa pelo processo de cobertura mecanizada.

Na primeira fase dos reparos, houve uma descompactação do gramado, feita com equipamento onde são utilizados pinos sólidos que perfuram o solo numa profundidade de 15 a 25 centímetros, criando novos espaços para o desenvolvimento das raízes.

No segundo estádio da manutenção foi realizada a aeração. Na aeração, os pinos sólidos foram substituídos por pinos vazados que retiram tubetes de solo compactado. Na última etapa da manutenção será efetuado o nivelamento do gramado.

No entanto, segundo a Federação Paulista de Futebol (FPF), o motivo da mudança do jogo dinte do Velo Clube para Limeira é outro: a interdição do estádio “Vail Chaves”. O Mogi Mirim tem quatro dos cinco laudos vencidos, o de Condições Sanitárias e Higiene, o de Prevenção e Combate de Incêndio, o de Segurança e o Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB).

De acordo com a assessoria de imprensa do clube, a intenção do Mogi Mirim é realizar todas as adequações para posteriormente entregar todos os laudos de uma só vez. As adaptações feitas no “Vail Chaves” para o show de Wesley Safadão no ano passado, por exemplo, já foram desfeitas para que o estádio possa ser aprovado pela FPF.

Com o início da competição, apenas três dos 20 clubes que disputam a Série A2 não conseguiram regularizar seus estádios. Além do Mogi Mirim, Batatais e XV de Piracicaba não podem jogar em casa, pois as dependências do “Dr. Osvaldo Scatena” e do “Barão de Serra Negra” continuam interditados.


Nenhum comentário:

Leave a Reply

Scroll to top