Mogi Mirim acusa Votuporanguense de tentativa de suborno

O Mogi Mirim está acusando formalmente o Votuporanguense de tentativa de manipulação de resultado no Campeonato Paulista da Série A2. Segundo o presidente do clube, Luiz Henrique de Oliveira, o zagueiro Marcelinho teria sido assediado por um homem chamado Anderson, que se identificou como diretor do Votuporanguense.

A proposta teria sido para que o Mogi Mirim perdesse o jogo disputado na tarde do último sábado, 01, em Votuporanga. A partida terminou com a vitória dos donos da casa por 2 a 0. Votuporanguense e Mogi Mirim brigam diretamente contra o rebaixamento no Campeonato Paulista da A2.

Na sexta-feira passada, 31, Marcelinho, que havia jogado no Votuporanguense na temporada passada, recebeu uma mensagem pelo Whatsapp de um homem chamado Anderson Negrini para que ele “recebesse uma grana para perder o jogo”.

Marcelinho não respondeu a mensagem, mas teria omitido o fato dos dirigentes do Mogi Mirim e só mostrou que havia sido assediado para “entregar o jogo” após a partida.

O presidente Luiz Henrique de Oliveira consultou a Federação Paulista de Futebol (FPF) e foi orientado a elaborar um Boletim de Ocorrência, o que foi feito na noite do mesmo sábado, 01, na Delegacia de Polícia de Votuporanga.

Marcelo Gotti / MMEC

OUTRO LADO
O presidente do Votuporanguense, Marcelo Stringari, negou qualquer tentativa de manipulação de resultado e esclareceu que o citado Anderson Negrini sequer é dirigente do clube. "O Anderson não é diretor do clube, sendo apenas funcionário burocrático”, esclareceu.

“Não posso fazer qualquer comentário, pois não tenho ciência dos fatos, mas posso garantir que jamais o Votuporanguense iria se prestar a este papel. O Votuporanguense é contra qualquer tipo de manipulação de resultado, bem como condena atitudes dessa natureza", garantiu Stringari. (com informações do Portal Futebol Interior)

Nenhum comentário:

Leave a Reply

Scroll to top