Santa Casa defende mudança de atendimento para UPA

Em nota oficial divulgada em suas redes sociais, a Santa Casa de Misericórdia de Mogi Mirim defendeu a posição da Prefeitura em transferir os atendimentos hoje feitos na Unidade de Atendimento Não Agendado (Uana) para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) 24 Horas da zona Leste.

O hospital lembrou, em nota, que em 2005, portanto no primeiro mandato de Carlos Nelson Bueno (PSDB), a Prefeitura tomou a decisão de transferir o Pronto Atendimento, que antes funcionava no Centro de Especialidades Médicas (CEM), para a Santa Casa. Para isso, construiu um prédio em anexo e inaugurou a Uana, transferindo o gerenciamento desse serviço para a própria Santa Casa.

Alguns anos depois, a Prefeitura obteve junto ao Governo Federal recursos para a construção de uma UPA na zona Leste. “A UPA, assim como a Uana, é uma unidade de complexidade intermediária e compõe a rede organizada em conjunto com a Atenção Básica de Saúde e a Rede Hospitalar”, explicou a Santa Casa.

“A UPA da zona Leste está pronta e a Prefeitura precisa utilizá-la, do contrário, terá que devolver os R$ 2,5 milhões que foram investidos pelo Governo Federal para a construção daquela unidade. Por isso, anunciou que apenas a UPA atenderá casos de complexidade intermediária. A Uana tem contrato vigente até 30 de setembro de 2017, ou até quando for do interesse da Prefeitura”, continuou.

A expectativa da Santa Casa, com a inauguração da UPA, é diminuir as filas no Pronto-Socorro, evitando que casos que possam ser resolvidos nas UPA ou unidades básicas de saúde sejam encaminhados para as unidades hospitalares, no caso, a própria Santa Casa de Mogi Mirim. “As UPAs funcionam 24 horas por dia, sete dias por semana, e podem resolver grande parte das urgências e emergências, como pressão e febre alta, fraturas, cortes, infarto e derrame”, reforçou, em nota.


“A Santa Casa partilha do desejo da Prefeitura: a população será mais valorizada com a UPA, que oferece condições bem melhores se comparado com o prédio atual da Uana, que carece de melhorias e de grande investimento”, admitiu o hospital. “Além disso, a Santa Casa irá utilizar o imóvel para ampliar o serviço de hemodiálise, dobrando a sua capacidade de atendimento, em concordância com a Secretaria de Saúde de Mogi Mirim”.

“Nossa parceria com a Prefeitura não termina em 30 de setembro, já que muitos outros serviços continuarão sendo prestados graças a contratos ainda em vigência. A Santa Casa é uma importante parceira da administração municipal e, consequentemente, da população de Mogi Mirim. E esta parceria estará em vigor até quando a Prefeitura desejar”, frisou a instituição.

“É importante frisar, definitivamente, que o fechamento da UANA não significa que a Santa Casa fechará suas portas. Muito pelo contrário. Vai melhorar o atendimento em outros setores e continuará sendo parceira da população. A Santa Casa deseja que a Prefeitura tenha sucesso com a inauguração da UPA, que significará mais um passo para a busca de excelência no atendimento”, encerra o hospital.

Nenhum comentário:

Leave a Reply

Scroll to top