Homem mata a ex-mulher e se suicida em seguida

Cássio Henrique Pacheco, 31 anos, cometeu suicídio após ter matado sua ex-mulher, Juliana Máximo da Silva, de 36 anos. O crime teve início no Seac, Zona Leste de Mogi Mirim, e desfecho na rotatória de acesso de Mogi Guaçu, na noite de segunda-feira, 14.

Segundo apurado, o casal atualmente estava separado, sendo Juliana tinha uma medida protetiva contra Cássio e, na semana anterior ao crime, ainda teria registrado um boletim de ocorrência contra seu ex-marido, após agressões.

No dia do crime, por volta das 20 horas, Cássio chegou em seu veículo, um GM Vectra, à Rua Ederaldo Silveira Bueno, antiga Rua 1, do Seac, e entrou na casa de familiares da ex-esposa, efetuando dois disparos contra eles. Os estilhaços dos disparos acertaram superficialmente o irmão de Juliana. Em seguida, Cássio, arrastando a vítima pelos cabelos, obrigou a vítima a entrar em seu carro, saindo em disparada.

A polícia foi acionada e houve a informação de que Cássio seguia sentido Mogi Guaçu, pela Rodovia SP-340. Os policiais da Força Tática, Atevaldo, Moreno e Ferraz, se depararam com o veículo no acesso a Mogi Guaçu, na Avenida Trancredo Neves, e deram a ordem de parada, porém o condutor seguiu em fuga e, ao tentar fazer o retorno novamente para sair na rodovia, acabou perdendo o controle do carro.

Os policiais se aproximaram e deram a ordem para que Cássio saísse do veículo, porém, para que não fosse detido, ele de arma em punho atirou contra a própria cabeça.

Cássio ficou ferido em estado grave e foi socorrido ao hospital, onde acabou falecendo momentos depois. Quando os policiais se aproximaram do veículo notaram que havia uma mulher no banco do passageiro. Era Juliana. Ela estava ferida também com um tiro na cabeça, já sem vida.

ANTECEDENTES
Cassio já esteve preso, quando, em 2013, praticou um roubo com outros elementos no bairro do Aterrado. Ele estava separado de Juliana, pois segundo informações, ele a agredia.

Em uma ação covarde, já que segundo relatos, ele não aceitava a separação, Cassio matou Juliana e para não ser preso, se matou, deixando órfã a filha do casal, uma menina de seis anos de idade. No perfil de Juliana, há uma postagem na qual, aparentemente feita por Cássio, ele pede perdão à filha.



Nenhum comentário:

Leave a Reply

Scroll to top