Presidente do PT pede desfiliação do partido

O presidente do diretório municipal do Partido dos Trabalhadores (PT) de Mogi Mirim, Oberdan Quaglio Alves, colocou o cargo à disposição e pediu a desfiliação da legenda junto à Justiça Eleitoral. Ele estava na sigla há sete anos e disputou por ela a última eleição para vereador, em outubro passado.

Nesta semana, porém, em nota encaminhada à imprensa, ele afirmou que chegou a um “divisor de águas” sobre a sua participação política no partido após a presidente nacional do PT, senadora Gleisi Hoffmann se posicionar contra a pena imposta ao senador Aécio Neves (PSDB) pelo Supremo Tribunal Federal (STF), alegando inconstitucionalidade.

Após o STF determinar o afastamento do tucano, Gleisi divulgou uma nota em que afirma que Aécio merece o “desprezo do povo”, mas que não pode ser afastado pelo Supremo Tribunal Federal. Alega que o PT age “em nome da defesa da constituição e do devido processo legal”.  Visão essa que Oberdan discorda.

“Defender a nota publicada essa semana em defesa do Senador Aécio Neves do PSDB, que foi pego em flagrante e gravado pedindo e recebendo propinas de mais de R$ 2 milhões, fazendo ameaças de morte ao próprio primo e outras tantas acusações e provas contra o senador, não o farei”, deixou claro o petista.

“Não há argumentos que torne essa defesa honrosa, pelo contrário defender o não cumprimento da decisão do STF neste caso é acabar com a história construída de maneira muito dura na esfera municipal”, argumentou Oberdan. A íntegra da nota divulgada por ele é publicada abaixo.



A Luta Não Pode Parar

Esta semana me deparei com o divisor de águas sobre a minha participação política pelo Partido dos Trabalhadores PT. Sou filiado ao partido desde 2010, me filiei na eleição do primeiro mandato da Presidenta Dilma, os avanços aos quais o País estava passando me motivaram a apoiar algo que estava mudando a cara do País que acredito ter o dever de lutar.

Programas como o Minha Casa Minha Vida, Fome Zero, PAC´s, Bolsa Família, Fies, Prouni, Pronatec, Mais Médicos, Ciência sem Fronteiras, Luz pra todos, Samu, UPA24Hs e outros tantos me motivaram a efetuar a defesa do nosso programa progressista de desenvolvimento de um País que até pouco tempo era tido como de 3º mundo e quebrado.

Mas a decepção chegou, para a minha surpresa a recém-eleita Presidente do PT a Senadora Gleisi Hoffmann publicou uma nota oficial declarando a não aceitação da pena imposta ao Senador Aécio Neves do PSDB pelo Supremo Tribunal Federal alegando inconstitucionalidade e declarava que a bancada do PT votaria pela queda da decisão do Supremo e pela manutenção do Senador em seu mandato.

Frequentemente fazemos a defesa do PT em nosso município e evidenciamos os avanços que nossos programas progressistas promovem na sociedade, mas defender a nota publicada essa semana em defesa do Senador Aécio Neves do PSDB que foi pego em flagrante e gravado pedindo e recebendo propinas de mais de 2 Milhões, fazendo ameaças de Morte ao próprio Primo e outras tantas acusações e provas contra o Senador, NÃO o farei, não há argumentos que torne essa defesa honrosa, pelo contrário defender o não cumprimento da decisão do STF neste caso é acabar com a história construída de maneira muito dura na esfera municipal.

Sendo assim estou descumprindo decisão tomada pela executiva nacional do PT e pelo teor nota a qual não concordo me faz colocar o cargo de Presidente do Partido dos Trabalhadores de Mogi Mirim a disposição e solicito por meio desta a minha desfiliação.

Oberdan Quaglio Alves
Ex-Presidente do PT e Ex- Filiado

Nenhum comentário:

Leave a Reply

Scroll to top