Consumidor diz ter encontrado tubete em garrafa

Flávio Magalhães

Darlan Nilton dos Santos, morador de Mogi Guaçu, está acostumado a lidar com as mais diferentes bebidas por ajudar seu pai em um comércio do gênero. No entanto, há cerca de três meses, ele se surpreendeu com o que teria encontrado dentro de uma garrafa de cerveja Brahma de 600ml. Um objeto, aparentemente de plástico, idêntico a um tubo utilizado para embalar drogas como cocaína.

A garrafa, segundo Darlan contou para a reportagem de A COMARCA, foi comprada pessoalmente em um supermercado de Mogi Guaçu antes de um churrasco. Por trabalhar no ramo, ele conta que está habituado a olhar para cada garrafa antes de abrir, para verificar se não está congelada. Ao invés de gelo, conta que viu o tubete.

“Cheguei a entrar em contato no 0800 da Ambev [fabricante da cerveja Brahma] na época”, recorda. De acordo com Darlan, porém, não houve uma resposta definitiva até agora. A garrafa em questão foi levada até a redação de A COMARCA. Está aparentemente intacta e com as letras “JA” grafadas no rótulo, o que indica, possivelmente, que o produto saiu da fábrica da Ambev em Jaguariúna.

A COMARCA entrou em contato com a Ambev para saber detalhes do assunto. A empresa, por sua vez, afirmou que não existe a possibilidade de seus produtos saírem da cervejaria com impurezas como a relatada. “A companhia preza pela qualidade de todos os seus produtos e, por isso, mantém rigorosos processos de controle de qualidade em todas as suas linhas de produção”.

A Ambev explicou ainda que, ao receber reclamações, segue o que determina o Código de Defesa do Consumidor, e substitui o produto para que ele seja encaminhado para análise técnica. “Nesse caso, não há registro de nenhum contato do cliente em nosso Serviço de Atendimento ao Consumidor tampouco em nome do estabelecimento no Serviço de Assistência ao Varejo. Portanto, não foi possível realizar a retirada do produto para análise”, informou a empresa.

“A companhia reafirma seu comprometimento em priorizar o atendimento ao consumidor e se coloca à disposição para quaisquer esclarecimentos. O telefone do SAC é 0800 725 0009 e funciona de segunda a sábado, das 8hs às 20hs, exceto domingos e feriados”, concluiu.

Garrafa, aparentemente intacta, possivelmente saiu da fábrica de Jaguariúna

SEMELHANTES
Apesar de ser provavelmente um caso único na região, não é a primeira vez que consumidores brasileiros encontram pinos de plástico dentre de garrafas. Em 2012, no município paulista de São Vicente, um comerciante encontrou o objeto dentro de uma garrafa de Coca-Cola. Para o Portal G1, que publicou a reportagem na época, a empresa afirmou se tratar de um “caso isolado”.

Outro caso, em 2015, foi noticiado pelo Gazeta de Votorantim, quando um comerciante encontrou o tubo de plástico dentro de um produto da Cervejaria Petrópolis. A empresa, na época, afirmou que suas fábricas possuem modernos equipamentos “que impedem qualquer falha ou erro no processo de fabricação”.



Nenhum comentário:

Leave a Reply

Scroll to top