Mogi Mirim terá duas eleições

Neste mês, acontece a eleição para escolha dos novos dirigentes e conselheiros do Mogi Mirim Esporte Clube para o biênio 2018/2019. Pelo estatuto do clube, o pleito ocorre na segunda quinzena de novembro. Até aí, nada demais, se não fosse por um detalhe curioso: o clube terá duas eleições, uma conduzida pelo grupo do presidente Luiz Henrique de Oliveira, e outra pelo grupo de oposição que forma o movimento SOS Mogi.

Os dois editais de convocação foram publicados por A COMARCA na edição deste sábado. No documento enviado pelo Mogi Mirim, os associados devem comparecer na Assembléia Geral Ordinária que acontece no próximo sábado, dia 18, a partir das 16h, no estádio Vail Chaves. O edital é assinado por Luiz Henrique de Oliveira, que está suspenso de suas funções.

Não consta no documento nenhuma informação a respeito de prazos para o registro de chapas postulantes ao pleito. Segundo a assessoria de comunicação do Mogi Mirim, esse prazo já expirou. Todas as diretrizes para o registro de candidaturas estavam afixadas no clube. Porém, a assessoria não informou se houve o registro de alguma chapa.

Já o edital lançado pela oposição convoca os associados do clube para a Assembleia Geral Extraordinária, prevista para o dia 30 de novembro, a partir das 18h30, no auditório do Hotel Bristol. Quem assina o documento é Rogério Manera, eleito presidente da diretoria executiva na Assembleia Geral Extraordinária realizada no dia 18 de julho deste ano.

No edital, Manera destaca que as deliberações tomadas na assembleia de julho estão em ata, devidamente averbada e microfilmada junto ao Cartório Civil de Pessoas Jurídicas de Mogi Mirim. E que mesmo impedido pela diretoria deposta de exercer plenamente suas funções, cabe a ele, enquanto presidente, convocar as eleições.

Por fim, o presidente informa no edital que, ‘tendo em vista que o clube se encontra em situação de abandono e que à data deste edital, a atual diretoria ainda não dispõe de autorização judicial para adentrar em suas dependências’, o registro de candidaturas deverá ser feito à rua Afonso Zorzetto, 13.

Luiz Henrique de Oliveira realiza eleição no 18

SUSPENSÃO
A diretoria do Mogi Mirim pretende regularizar sua situação junto a CBF o mais rápido possível. Na semana passada, o presidente do STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva), Ronaldo Botelho Piacente, suspendeu o Mogi Mirim de todas as competições promovidas pela CBF, devido ao não pagamento de taxas de arbitragem e multas impostas por não cumprir a decisão. Com isso, o clube está impedido de participar de qualquer competição realizada pela CBF até a quitação do débito.

A assessoria de comunicação do clube informou que ‘provavelmente, (a situação) seja resolvida na próxima semana com pagamento dos débitos para a liberação do clube na entidade da CBF’. São pouco mais de R$ 12 mil, referente às taxas de arbitragem – incluindo o transporte – dos jogos contra a Tombense, no dia 29 de julho, e contra o Ypiranga, no dia 12 de agosto, ambos no estádio Vail Chaves, e mais R$ 4 mil de multas, pelo não cumprimento das obrigações.

Nenhum comentário:

Leave a Reply

Scroll to top