Prefeito decreta estado de alerta contra epidemia de doenças transmitidas pelo Aedes Aegypti

O prefeito Carlos Nelson Bueno (PSDB) decretou estado de alerta em Mogi Mirim diante da proliferação das doenças transmitidas pelo mosquito Aedes Aegypti, como a dengue, o zica vírus e o chikungunya. Portaria nesse sentido foi publicada pela Prefeitura na edição de quarta-feira, 1º, do Jornal Oficial do Município. No documento, o chefe do executivo lista as medidas preventivas de combate ao mosquito.

Ao decretar o estado de alerta epidemiológico em Mogi Mirim, CNB ressalta a necessidade do combate ao mosquito, diante de uma real epidemia prevista pela SUCEN (Superintendência de Controle de Endemias), e pela Diretoria Regional de Saúde, e a recente confirmação de um caso de chikungunya no município.

A maior crise epidêmica da história recente de Mogi Mirim, com mais de vinte mil casos de dengue, com 11 óbitos, também foi lembrada pelo prefeito, que reforça sua preocupação ao enfatizar a crise financeira e o ‘grave abandono que a cidade viveu nos últimos quatro anos, agravando em muito a situação de higiene e limpeza pública’.

Para que o embate seja efetivo e eficaz, Carlos Nelson ressalta a necessidade indispensável de mobilização da sociedade e participação da população, destacando que todo o esforço de controle pode ser comprometido quando os Agentes de Vigilância em Saúde e profissionais engajados no combate ao mosquito se depararem com a impossibilidade de ingressar nos recintos privados.

Assim sendo, pregou o dever de Município em adotar medidas de prevenção e cautela em defesa da saúde coletiva de seus munícipes, realizando, por exemplo, ações integradas entre as diferentes esferas de governo e instituições de saúde; e acompanhamento e monitoramento diário, pelo setor de Vigilância Epidemiológica, do perfil epidemiológico do Município.

Na portaria, CNB autoriza os servidores da Vigilância em Saúde e Atenção Básica, lotados na Secretaria Municipal de Saúde, participantes das ações do combate à dengue, a entrarem nas áreas externas de imóveis desocupados ou abandonados, para o encaminhamento de ações de limpeza e remoção de criadouros ou quaisquer outras medidas que visem a eliminação do mosquito.

A recusa no atendimento das determinações sanitárias constitui infração sanitária, passível de punição, segundo o que determina o chefe do Executivo na portaria em questão. Se necessário, os agentes de vetores terão o apoio policial em caso de eventual negativa de acesso aos imóveis por parte dos responsáveis, para o encaminhamento das ações necessárias. Se a recusa persistir, o caso será remetido ao Ministério Público.

CNB ainda estabelece a criação de uma comissão formada por cinco membros do Governo Municipal, que terá a responsabilidade de coordenar as ações de prevenção e combate à epidemia, tendo poder de decisão sobre a necessidade de contratações emergenciais e compra de materiais.


PRÉDIOS PÚBLICOS
Servidores públicos municipais participaram no início da semana de um mutirão de limpeza nos prédios públicos municipais, dentro da ação de combate ao Aedes aegypti. Os trabalhos foram executados no Bem-Estar Animal, vinculado à Secretaria de Meio Ambiente; na UBS (Unidade Básica de Saúde) do Jardim Planalto, ligada a Secretaria de Saúde; no Almoxarifado Central, órgão da Secretaria de Suprimentos e Qualidade, dentre outras localidades.

Também engajada na mobilização, a Secretaria de Assistência Social já programou as ações que fará no combate ao mosquito: no dia 6, no CRAS Planalto; no dia 7, no CRAS Leste; no dia 8, no CREAS; no dia 9, no CRAS Norte e no Pró-Idoso; e no dia 10, nas dependências da secretaria. “Aproveitaremos as datas escolhidas para também fazermos orientações e conscientização sobre a importância da prevenção”, definiu a secretária de Assistência Social, Leila Iazzetta.

Com essa iniciativa, as secretarias atendem à solicitação da pasta da Saúde em colaborar com a ‘Operação Zero: Zero Aedes, Zero Sujeira’. O mutirão aconteceu na sequência da ação organizada no último sábado, 28, nos bairros da zona Leste. Nas visitas às residências, os agentes orientaram, fiscalizaram e executaram a limpeza de possíveis criadouros.  Na oportunidade, foram visitadas 5.284 moradias. No entanto, 2.042 estavam fechadas, sobrando 3.242 imóveis para aplicar as medidas.

A próxima operação será no próximo sábado, dia 11, das 9h às 16h, também na zona Leste. Desta vez, a ação será nos bairros Jardim Patrícia, Jardim Brasília, Jardim 31 de Março, Jardim São Vítor, Linda Chaib, Mirante, Jardim Elite e Chácaras Areião.

Nenhum comentário:

Leave a Reply

Scroll to top