SOS Mogi elege diretoria, mas terá que aguardar pela Justiça

Foi realizada na noite de quinta-feira, 30, no Bristol Hotel, a eleição para a nova diretoria do Mogi Mirim Esporte Clube, conduzida pelos membros do movimento SOS Mogi. Parte do grupo foi eleita numa Assembleia Geral Extraordinária, realizada no dia 18 de julho, para assumir o comando do clube. Isso porque, na ocasião, os membros decidiram pela destituição dos atuais dirigentes. O mesmo grupo foi aclamado no pleito de quinta para administrar o Mogi no biênio 2018/2019.

O edital de convocação para a Assembleia Geral Extraordinária realizada na quinta-feira foi publicado no jornal A COMARCA na edição do dia 11 de novembro. Quem assinou o documento na oportunidade foi Rogério Manera, eleito presidente da diretoria executiva na assembleia de julho.

No edital, Manera destaca que as deliberações tomadas naquela assembleia estão em ata, devidamente averbada e microfilmada junto ao Cartório Civil de Pessoas Jurídicas de Mogi Mirim. E que mesmo impedido pela diretoria deposta de exercer plenamente suas funções, cabia a ele, enquanto presidente, convocar as eleições.

Com o nome de “Somos Sapos Mogimirianos”, foi registrada apenas uma chapa. Por isso, ela foi eleita por aclamação. A chapa é composta por Cristiano Rocha e Cristina Mansur, ´presidente e vice da Diretoria Executiva; Rogério Manera, Rafael Assin, Luiz Guarnieri e Tiago Durante, como presidente, vice, primeiro secretário e segundo secretário do Conselho Deliberativo; Ernani Gragnanelo, Henrique Stort e Marco  Aurélio, como membros do Conselho Fiscal; e Ricardo Bertanha, Jair Depieri e João Bernardi como suplentes.

Agora, a ata será lavrada e registrada em cartório. Bem como, anexada ao processo de destituição de Luiz Henrique de Oliveira, toda a diretoria e conselheiros. Na ação, o movimento SOS Mogi chegou a pedir a concessão de liminar para destituição imediata, mas, a solicitação foi negada pela juíza Maria Raquel Campos Pinto Tilkian Neves, da 4ª Vara da Comarca.

Ainda não há decisão de mérito no processo. O corpo jurídico do SOS Mogi entende que, como Luiz Henrique está destituído, por decisão em assembleia geral, ele sequer poderia ter convocado a eleição que o aclamou para mais um mandato. Para ele, caberá à Justiça decidir quem tem razão em assumir o clube a partir de janeiro de 2018.

Rogério Manera dá lugar a Cristiano Rocha na presidência da diretoria executiva


Nenhum comentário:

Leave a Reply

Scroll to top