'Vail Chaves' é novamente interditado

Uma situação que parece ter virado rotina deve deixar o torcedor mogimiriano novamente distante do Mogi Mirim Esporte Clube na Série A3 do Campeonato Paulista de 2018. O estádio Vail Chaves, assim como outros 38 listados para receber jogos das quatro divisões do futebol paulista, aparece como interditado no site da Federação Paulista de Futebol. Por isso, os mandos de campo do Sapo no estadual foram transferidos, momentaneamente, para o estádio Major José Levy Sobrinho, em Limeira.

No ano passado, a interdição do Vail Chaves, devido a demora na regularização de laudos técnicos vencidos, fez com que o Mogi jogasse as suas quatro primeiras partidas na Série A2 fora de Mogi Mirim. Foram dois jogos realizados em Limeira, um em São Paulo e outro em Barueri. Somente na nona rodada, quando fez seu quinto jogo como mandante, é que o Sapo pode atuar no Vail Chaves.

Neste ano, o estádio foi interditado no dia 31 de outubro. Portaria assinada pelo Coronel Isidro Suita Martinez, vice-presidente do Departamento de Infraestrutura de Estádios, informa que a interdição ocorreu devido à falta de renovação de laudo do Vail Chaves. O AVCB (Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros) venceu justamente no dia 31 de outubro.

Já o laudo de prevenção e combate a incêndios está vencido desde 21 de novembro. Os demais laudos ainda por vencer. O de segurança no dia 30 de dezembro, e o condições sanitárias e de higiene no dia 6 de fevereiro de 2018 e a vistoria de engenharia no dia 28 de agosto do próximo ano.

Além do Vail Chaves, a FPF também interditou outros 11 estádios de clubes que disputarão a Série A3: Fortaleza (Barretos), Alfredo de Castilho (Bauru), Bento de Abreu (Marília), Hudson Buck Ferreira (Matão), Otacília Patrícia Arroyo (Monte Azul), Maria Tereza Breda (Olímpia), Ernesto Rocco (Porto Feliz), Benito Castelano (Rio Claro), Baetão (São Bernardo do Campo), Luiz Augusto de Oliveira (São Carlos) e Anísio Haddad (São José do Rio Preto).

(Arquivo)


DEMAIS
Na Série A1, apenas cinco estádios estão interditados, mas, outros já possuem documentação vencida, casos de Arena da Fonte, em Araraquara, e Walter Ribeiro, em Sorocaba. Bruno José Daniel, em Santo André, e Anacleto Campanella, em São Caetano do Sul, terão laudos vencidos entre dezembro e janeiro.

No caso do Moisés Lucarelli, casa de Ponte Preta e RB Brasil, a interdição acontece por ordem do STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva). Outros dois estádios são usados por mais de uma equipe, caso do José Liberatti, em Osasco (Audax, Grêmio Osasco e Osasco FC), e o Nicolau Alayon (Nacional e Barcelona-SP), em São Paulo.

Somente Arena Corinthians, Allianz Parque, Morumbi, Pacaembu, Vila Belmiro e Novelli Júnior, em Itu, possuem documentação em dia e com prazo que cobre todo calendário da primeira divisão do estadual. As equipes devem regularizar a documentação das arenas, já que as três primeiras divisões do Campeonato Paulista começam no dia 17 de janeiro. A Segunda Divisão, começa apenas em abril.

Nenhum comentário:

Leave a Reply

Scroll to top