Mogi de ‘cara nova’ para a temporada

Depois de três anos sob forte turbulência política-administrativa, e com rebaixamentos constantes no Paulista e no Brasileiro, o Mogi Mirim inicia 2018 projetando um futuro que possa apagar o passado catastrófico. Com a gestão do futebol terceirizada e com o apoio de personalidades expressivas da cidade e da história do clube, o Sapo estreia quarta-feira, 17, na Série A3 do Campeonato Paulista. Enfrenta o Noroeste, às 20h, no estádio Alfredo Castilho, em Bauru.

O ano de 2017 foi decepcionante do começo ao fim. Foi rebaixado no estadual da A2 para a A3, e no Brasileiro, da Série C para a Série D, com direito a WO, protagonizado pelos jogadores, pela falta de pagamento de salários. Para recolocar o Mogi Mirim nos trilhos, o presidente Luiz Henrique de Oliveira terceirizou a gestão do futebol. Acertou um contrato de um ano com um grupo de investidores, que até o final do ano, será responsável por 100% das contas do Mogi. O contrato pode ser renovado por mais dois anos. 

O grupo é liderado por Márcio Granada, empresário responsável pela organização de jogos festivos e amistosos, como o que trouxe o Shakthar Donetsk, da Ucrânia, ao Brasil, em 2015. O nome do investidor está ligado a processos polêmicos, como o de jogadores que o acusam de “ilusão e abandono” nos Las Vagas United, clube fundado em 2016 e que contou, inclusive, com o astro Ronaldinho Gaúcho em um jogo amistoso. 

Granada está à frente do projeto ao lado de Alessandro Alvares da Silva, o Botijão. Ex-jogador, formado nas categorias de base do São Paulo nos anos 80, passou a maior parte da carreira na Alemanha e defendeu clubes como Eintracht Frankfurt e Waldhof Mannheim. Representante dos investidores, Botijão afirmou em sua coletiva de apresentação que o grupo é formado por empresários brasileiros e alemães.

Para comandar o Mogi dentro de campo, o nome escolhido foi o de Álvaro Gaia. O técnico tem experiência nas divisões de acesso do futebol paulista, pois dirigiu União Mogi, Guarujá, Independente, Taubaté e Velo Clube. Pelo clube de Limeira, conquistou o acesso da Série A3 para a A2 e por pouco não subiu também para a primeira divisão.

Gaia lamentou o pouco tempo que a equipe terá de preparação para a estreia. “O calendário da Série A3 não te deixa respirar, é jogo de quarta e domingo. A nossa margem de erro tem que ser mínima”, alertou.

O treinador também não escondeu a satisfação de poder trabalhar no Mogi Mirim. “É um grande clube do interior e estamos aqui para ajudá-lo a voltar para o cenário”, frisou Gaia, que iniciou os preparativos para o jogo de quarta-feira há apenas 10 dias. Com ele, chegaram os demais membros da comissão técnica e um grupo de pouco mais de 20 jogadores. Outros ainda chegarão, já que é possível inscrever até 28 jogadores.

Para a rodada inaugural, uma primeira relação deverá ser obrigatoriamente apresentada até segunda-feira, 15, mediante preenchimento através do sistema ‘online’ da Federação Paulista de Futebol. Até agora, foram oficializadas no BID (Boletim Informativo Diário) da CBF e no site da FPF, a inscrição de onze jogadores: Diogo Medeiros, 32; Pedro Victor; 25; Romarinho, 24; Robson Oliveira, 32; Eder Baiano, 33; Thawan Oliveira, 20; Vinícius Moreira, 20; Patrick Araújo, 21; Willian Olivares, 34; Marcelo Bonan, 36 e Ronaldo Félix, 24.

No entanto, nos dois jogos-treinos realizados nesse período, contra o São Caetano no domingo, 7 – vitória por 3 a 2 – e contra o Santo André, na quarta-feira, 10 – derrota por 1 a 0 – Gaia usou duas formações diferentes, com diversos jogadores que ainda não aparecem nos registros oficiais.

Contra o Azulão, Gaia escalou o Mogi com Marcelo Bonan; Samuel, Marcelo Felks, Taiwan e Gaúcho; Anderson Paulista, Pedro, Romarinho e Diogo; Alisson e Robinho. No segundo tempo, o Sapo atuou com: Vinicius; Júlio Cesar, Eder Baiano, Caio e Valmir; Giovani, Ronaldo, Patrick e Alex; Alexis e Rodnei.

Na quarta-feira, o Sapo jogou com Marcelo Bonan, Fabrício, Eder Baiano, Marcelo Felcks e Gaúcho; Anderson Paulista, Pedro, Romarinho e Diogo; Robinho e Alisson.  Para a página do Facebook ‘Treinadores do Brasil’, Gaia disse estar satisfeito com o que a equipe vem apresentando, que o time está ‘encaixando’ e que a tendência é melhor nessa reta final de preparação, quando fará os últimos ajustes, e também durante a competição.

Gaia também elogiou a comissão técnica, destacando ser ‘altamente qualificada’, e o elenco, composto em boa parte por atletas experientes o que facilita a relação, pois ‘conseguem captar de uma forma mais fácil o que estamos solicitando’.

Entre os nomes que treinam com o elenco, está o de Alexis Escudero. O meio-campista colombiano tem passagem pela seleção sub20 da Colômbia. Porém, o jogador mais conhecido do grupo é Marcelo Bonan. O goleiro de 36 anos já defendeu clubes como Coritiba-PR, América-RN, Santo André e Fortaleza-CE e entre 2014 e 2016 atuou no Independente de Limeira, período em que o Galo era comandado por Álvaro Gaia.


(Marcelo Gotti/ BTS Mogi Mirim)

Nenhum comentário:

Leave a Reply

Scroll to top