Mogi Mirim está na zona de rebaixamento da A3

O Mogi Mirim Esporte Clube volta a campo neste sábado, 27, quando enfrenta o Grêmio Osasco, às 10h, no estádio José Liberatti, em Osasco, pela quarta rodada da Série A3 do Campeonato Paulista. Com um ponto conquistado em três jogos, o Mogi precisa reagir e vencer pela primeira vez na competição, para não correr o risco de entrar na zona do rebaixamento. Na 14ª colocação, o Sapo é o último time fora na zona do descenso.

Para o jogo deste sábado, o técnico Álvaro Gaia deverá contar com o mesmo grupo de jogadores que atuaram nos últimos jogos. Mas, a partir do jogo de quarta-feira, 31, contra o Atibaia, no estádio Chico Vieira, em Itapira, ele poderá ter alguns dos novos reforços à disposição. A diretoria acertou na segunda-feira, 22, com o meio-campista Melinho, de 37 anos, e os jovens atacantes Alex e Chayene.

Além disso, o clube está negociando com mais dois volantes e um zagueiro. “O time bom, mas, não está consistente, não está equilibrado. Do meio para trás, temos deficiências, vamos consertar. Posso garantir que esse time vai dar uma reviravolta no campeonato”, destacou Gaia, confiante na evolução da equipe.

Com passagens por União Barbarense, São Caetano e Independente de Limeira, Melinho é bastante conhecido no futebol paulista. Ele acertou um contrato com o Sapo com duração de seis meses, ou seja, até o fim do campeonato estadual. O curioso é que o meio-campista estava aposentado em 2017, mas voltou para atuar no time de Santa Bárbara do Oeste. Os demais reforços são Alex, 22, que já jogou por CSA, Salgueiro e Internacional-PB, e Chayene, 27, que tem experiências na Tailândia e na Malásia.

JOGOS
Foram duas partidas como mandante, seis pontos em disputa e apenas um conquistado. E ele veio no empate em 2 a 2 com a Portuguesa Santista, no domingo (21). Mas, o Sapo teve que correr atrás e mostrar poder de reação para chegar à igualdade. A Briosa ficou duas vezes na frente do marcador. Primeiro, no gol marcado pelo lateral direito Rafael, aos 21 minutos. Ele passou pela marcação, foi ao fundo e cruzou. Marcelo Bonan soltou e o mesmo Rafael aproveitou para mandar para a rede.

O empate do Mogi Mirim saiu aos 40 minutos. Anderson Paulista achou um corredor no lado direito da defesa adversária e lançou para Diogo Justino, que se infiltrou no espaço aberto. O camisa 8 esperou a bola quicar para bateu forte e cruzado pelo alto, sem defesa para o goleiro Cleyton. Um golaço.
No segundo tempo, a Portuguesa voltou a ficar na frente. Aos nove minutos, Fabrício se atrapalhou com a bola e, na tentativa de cortá-la, atingiu o atacante dentro da área. Pênalti que Léo Gonçalves bateu com preciso e fez 2 a 1. Sete minutos depois, novo pênalti marcado, desta vez para o Mogi. Robinho, que havia sido empurrado na área, cobrou e deixou tudo igual. No final, empate em 2 a 2.

Na quarta-feira, 24, com a presença de crianças e adolescentes nas arquibancadas, depois que a diretoria do Mogi conseguiu a expedição de alvará que concedeu a liberação de menores de 18 anos nos jogos da equipe, o adversário em Itapira foi o Capivariano, que venceu por 2 a 1. O time de Capivari abriu a contagem com o atacante Bill de cabeça, aproveitando cruzamento da esquerda.

O Mogi empatou aos 18 minutos num belo gol de Ronaldo. Ele recebeu bola ajeitada por Diogo Justino e da entrada da área acertou um chutaço, no ângulo direito, longe do alcance do goleiro Yan. Depois que a partida ficou paralisada quase 20 minutos, já que ficou com a iluminação comprometida com a queda de energia em um dos postes com refletores, começaram as reclamações contra a arbitragem. Primeiro, do lado do Capivariano, que reclamou de um gol que teria sido mal anulado por impedimento.

Depois, foi o Mogi que reclamou uma falta não marcada em cima de Robinho. Para piorar, no lance seguinte, Eder Baiano fez pênalti em Bill. O próprio camisa 9 bateu e recolocou o visitante em vantagem. Na etapa final, o Mogi cresceu, pressionou, botou uma bola no travessão (cabeceada de Americano) e marcou nos acréscimos. Mas, o árbitro Danilo da Silva anulou, marcando falta de Americano no goleiro Yan.  Mais uma vez, o lance foi muito contestado, porque o atacante sequer teria tido contado com o goleiro.

Nenhum comentário:

Leave a Reply

Scroll to top