Prefeitura promove Carnaval após 3 anos

"O Carnaval da Família". Com esse slogan, Mogi Mirim voltará a comemorar o Carnaval, com festejos populares oferecidos pela administração municipal. Após ficar três anos sem qualquer atrativo na festa de Momo, a cidade terá uma programação com apresentação de bateria, trio elétrico e banda ao vivo.   Os festejos se concentrarão na área central, como Praça Rui Barbosa e Espaço Cidadão.

“Queremos abranger os pais, filhos, avós, tios, enfim, todos os membros da família”, destacou o secretário de Cultura e Turismo, Marcos Antonio Dias dos Santos, o Marquinhos Dias, em entrevista concedida na quinta-feira, 25, quando divulgou o cronograma da ‘Folia Mogi 2018: o Carnaval da Família’. Segundo ele, a programação musical do Carnaval popular de Mogi Mirim consistirá em marchinhas carnavalesca, sambas-enredo e axé dos anos 90.

Marquinhos informou que foi montada uma Comissão de Eventos, Programações e Atividades, com a participação de outras secretarias municipais, para definir as datas e as atrações. Segundo ele, será um Carnaval modesto, dentro da realidade financeira do município, mas, feita para atrair a família. “Estamos plantando uma semente, para que em 2019, a gente possa nos estruturar melhor e ter mais atrações”, adiantou.

O “Carnaval da Família” terá investimentos em torno de R$ 25 mil. O valor abrange o trio elétrico, banda musical, bateria e direitos autorais, além de ampla infraestrutura com a contratação de seguranças privados e locação de banheiros químicos.

Marquinhos ressaltou que o Domingo no Samba, evento realizado todo início de mês, e a festa realizada no Dia Nacional do Samba, quando recebeu a presença de cerca de 7 mil pessoas, serviram de alicerce para a realização do Carnaval. Mesmo assim, evitou fazer um prognóstico de público. “Há três anos não temos Carnaval popular na cidade. Poder ser que lote, como pode ser que venha pouca gente”, apontou.

Os eventos carnavalescos terão início na sexta-feira, 9, às 15h, com o tradicional baile de Carnaval para a terceira idade no Pró-Idoso, promovido pela Cultura, em parceria com a Secretaria de Assistência Social. No sábado, 10, a partir das 10h, está prevista uma apresentação de bateria com passistas pela região central.

“Será nos mesmos moldes da Folia de Reis. A bateria vai percorrer as vias centrais, passando pelo Jardim Velho e rua XV de Novembro, até chegar na praça Rui Barbosa. Lá, eles irão parar em frente ao chafariz para uma exibição com puxador e passistas”, informou. A programação prossegue no domingo, 11, com uma concentração no Teatro de Arena às 14h30.

No local, haverá um trio elétrico que iniciará a folia com som mecânico. “Ele vai puxar o povo até o Espaço Cidadão, onde permanecerá fixo para a matinê que seguirá até às 18h”, disse Marquinhos. O trajeto usado pelos foliões terá interdição de trânsito. A Guarda Civil Municipal também acompanhará o grupo.
Após um intervalo de pouco mais de uma hora, haverá baile popular com a banda Deixa Falar, de Mogi Guaçu, que se apresentará de cima do trio elétrico. A animação irá até a meia noite.

Na segunda, 12, e na terça-feira, 13, os festejos serão no Espaço Cidadão. Na segunda, das 19h à meia-noite, novamente com a presença da banda Deixa Falar. Na terça, será uma matinê estendida, das 16h às 20h. Desta vez, porém, será com som mecânico.

Nos dias de folia no Espaço Cidadão, haverá praça de alimentação. A comercialização de alimentos será concedida às entidades assistenciais e ambulantes. Na edição deste sábado do Jornal Oficial, foi publicado chamamento público com especificações sobre os procedimentos que deverão ser adotados para a prestação de serviços na área destinada à alimentação. Também será disponibilizado atendimento médico no local.

O secretário lamentou não ter conseguido emplacar a programação em 2017, no primeiro ano da nova gestão de Carlos Nelson Bueno (PSDB). “Sempre fui ligado ao Carnaval. Quando fui nomeado, já tinha essa intenção de resgatar as festividades carnavalescas no município. Por contingência de gastos, não pudemos realizar no ano passado. Mas, para este ano, conversei com o prefeito, porque a gente precisa fazer esse resgate”, argumentou.

Para ele, o Carnaval ainda é um dos poucos momentos de alegria do povo brasileiro. “A gente precisa oferecer isso. A nossa população merece um pouco de diversão”, frisou. E ele fez questão de rebater as críticas de quem acha que a Prefeitura deveria aplicar esse recurso  em outros setores ou que está deixando de investir no que realmente é necessário. “Precisa acabar com essa polarização. Não tem essa de tirar dinheiro da saúde para o Carnaval. Todo cidadão tem direito à saúde, assim como ao lazer e a cultura”, argumentou.

Não tem essa de tirar da Saúde para colocar no Carnaval, defende Marquinhos

Nenhum comentário:

Leave a Reply

Scroll to top