Vacina contra Febre Amarela exige comprovante de residência

A Secretaria de Saúde segue com a campanha de vacinação contra a febre amarela na cidade. Todas as UBSs (Unidades Básicas de Saúde) e ESFs (Estratégia Saúde da Família) estão aplicando as vacinas no período da tarde, a partir das 13h. Diariamente, são distribuídas 20 senhas para que seja feita a imunização. A orientação é para que o munícipe procure a unidade de saúde de referência, que costuma ser a mais próxima de sua residência, com a carteira de vacinação.

Contudo, a grande procura pela vacina tem feito a Secretaria adotar medidas para assegurar que os mogimirianos possam ser atendidos. Além da carteira de vacinação, as unidades de saúde vão passar a exigir documentos que comprovem a residência na cidade, como comprovante de endereço e o título de eleitor.

“Não pretendemos negar vacina a ninguém, mas é grande a quantidade de moradores de outras cidades que tem vindo a Mogi Mirim para serem imunizados. Precisamos garantir o abastecimento para nossos munícipes, por isso vamos exigir documento que comprove a residência”, alertou a secretária de Saúde, Rosemary Fátima Silva.

A secretária relatou que há casos em que são apresentados comprovantes de residência de parentes para garantir a vacina. “Isso não ajuda nem Mogi Mirim, que recebe quantidade específica de vacinas para a população a ser imunizada, nem a cidade em que a pessoa realmente reside, a qual não registrará a cobertura real de imunização para as autoridades de Saúde", afirmou Rose.

Mogi Mirim não apresenta casos suspeitos, tampouco confirmados de febre amarela e a cidade não é considerada área de risco, mas está classificada como Área de Recomendação de Vacina pelo Ministério da Saúde, desde 2015, por se localizar próximo de regiões com casos confirmados. Devido a isso, a procura pela vacina aumentou consideravelmente. Até novembro de 2017 foram aplicadas 27.712 doses.

Podem receber a vacina crianças a partir dos nove meses até idosos com 60 anos. Acima de 60, assim como doentes crônicos e portadores do HIV, também podem ser vacinados, desde que por recomendação médica. A vacina é contraindicada para grávidas, mulheres que amamentam crianças com menos de seis meses, pessoas alérgicas a ovo e derivados e pacientes com câncer em tratamento de quimioterapia e radioterapia. Quem já foi vacinado não precisa de outra dose, uma vez que já está imunizado contra a febre amarela.


TRABALHADORES
Para atender as pessoas que trabalham e deixam o expediente às 17h, a Secretaria de Saúde autorizou todas as UBS’s a estenderem o horário de atendimento. A iniciativa está programada exclusivamente para a próxima quinta-feira, 1, das 16h às 19h. “Ficava inviável a vacinação para esse grupo. Portanto, organizamos uma equipe de servidores, a fim de organizar essa operação com o intuito de beneficiar as pessoas que não conseguirem chegar a tempo”, justificou Rose.

Outro grupo também favorecido pela iniciativa são as pessoas que viajarão no feriado de Carnaval para áreas consideradas de risco. O cronograma estabelecido pela Saúde acontece exatamente 10 dias antes das datas alusivas às folias carnavalescas. “Nesse período, muitas pessoas viajam e caso ocorra o contágio em áreas distantes do nosso município, o indivíduo já estará imunizado”, especificou.


ZOOLÓGICO 
A Vigilância em Saúde tem monitorado constantemente as atividades do Zoológico Municipal “Luiz Gonzaga de Amoêdo Campos” e informou que o local não oferece riscos aos visitantes devido à presença de macacos. Como não há registro de mortes desses animais, que servem como “sentinelas” que alertam sobre a presença da doença, não há necessidade de interrupção das atividades, como ocorreu no Zoológico de São Paulo, onde foi encontrado um macaco bugio morto por febre amarela.

Segundo a Secretaria de Meio Ambiente, os dias e horários de funcionamento do Zôo de Mogi Mirim permanecem os mesmos: aos sábados, domingos e feriados, das 9h às 16h. A pasta informou que o fechamento pode ocorrer em decorrência das variações climáticas, pois em função das constantes chuvas que vêm ocorrendo neste mês a pista de passeio para deslocamento pelo parque tornou-se extremamente escorregadia em face do desenvolvimento de musgo sobre o piso podendo ocorrer quedas. A Secretaria realiza periodicamente a lavagem da superfície dos passeios tomada pelo musgo, sendo prioridade a execução nos pontos de entroncamento.

Nenhum comentário:

Leave a Reply

Scroll to top