Mogi leva pressão para Rio Preto

A pressão está muito grande para cima do Mogi Mirim Esporte Clube. Principalmente, após os dois últimos resultados, quando perdeu para o Grêmio Osasco por 3 a 0, num desempenho muito fraco da equipe, e a incrível derrota sofrida para o Atibaia por 4 a 3, quando levou três gols em apenas três minutos, já nos acréscimos do final da partida. Com um ponto e quatro derrotas na bagagem, o Mogi é o lanterna da Série A3 do Campeonato Paulista.

Por essa razão, a partida deste sábado, 3, contra o Rio Preto, às 16h, no estádio Anísio Haddad, em São José do Rio Preto, passa a ser mais que uma decisão. É uma questão de sobrevida ao Sapo. Um novo revés não só mantém a equipe na última colocação do campeonato, como faz o clube mergulhar em mais uma daquelas crises, com um provável final: o rebaixamento para a 2ª Divisão.

A permanência do técnico Álvaro Gaia para o confronto em Rio Preto não é garantida. O próprio treinador saiu do estádio Chico Vieira na quarta-feira, 31, após a derrota para o Atibaia, dizendo que, por ele, permanece até o final do campeonato. Mas, que qualquer decisão contrária, seria uma posição da diretoria, que se manteve calada ao fim do jogo do meio de semana.

Quanto a reforços, nenhum indicativo de que o Mogi promoverá estreias para o duelo deste sábado. O meia Melinho (ex-União Barbarense), que chegou a ser anunciado, ainda não está certo. Pode ser que nem fique mais. Isso porque o nome de Danilo Sacramento, vice-campeão paulista com o Guarani em 2012, ganhou força no Vail Chaves. Mas, por enquanto, são só especulações.

SEMANA NEGRA
Foi uma semana para ser esquecida pelo Mogi Mirim. No sábado, 26, a equipe foi presa fácil para o Grêmio Osasco, principalmente, na segunda etapa. Jogando no estádio José Liberatti, os dois times fizeram um primeiro tempo praticamente sem chances nenhuma de gol. O Sapo até tentou tomar a iniciativa do jogo, mas, pecou nos erros de passe. 

Na bola parada, o time da casa abriu o placar aos 46 minutos. Na bola alçada na área, Danrley cabeceou no segundo pau para vencer o goleiro Marcelo Bonan. Na volta do intervalo, o Mogi não se encontrou em campo. E viu o adversário definir o placar em mais duas falhas defensivas. Aos sete minutos, Rubens recebeu sozinho pelo lado esquerdo e acertou uma bala, fora do alcance do goleiro mogimiriano: 2 a 0. E aos 28, em cobrança de escanteio, Danrley escorou sozinho de cabeça para fechar o placar.

O desempenho em Osasco fez a diretoria cobrar atitude do elenco e manteve a confiança no trabalho de Álvaro Gaia. A vitória na quarta-feira diante do Atibaia, em Itapira, era fundamental para a arrancada para sair da incômoda zona de rebaixamento. E numa noite com mais brilho, pelo menos até os minutos finais do jogo, tudo caminhava para a primeira vitória do Sapo.

Na primeira etapa, o Mogi chegou a abrir 2 a 0. Robinho abriu vantagem aos 12 minutos, aproveitando cruzamento de Fabrício pela direita. Aos 32, numa bola levantada na área por Romário, a bola desviou na zaga e entrou. A arbitragem assinalou gol para o meia do Mogi. No final do primeiro tempo, o Atibaia diminuiu com Mineiro. Ele recebeu livre na área e só teve o trabalho de tirar do goleiro Hotton.

O Mogi voltou para o segundo tempo disposto a liquidar a fatura o mais rápido possível. Logo aos cinco minutos, Fabrício invadiu a área e foi derrubado. Pênalti que Robinho bateu, o goleiro Cairo deu rebote, e o mesmo camisa 9 foi mais rápido que a zaga para mandar para a rede. 

Com 3 a 1 no placar, o Mogi soube administrar o resultado. O Atibaia, por sua vez, cresceu nos minutos finais. O lateral Fabrício chegou a salvar um gol em cima da linha em duas oportunidades. Aí, aos 44 minutos, começou o pesadelo mogimiriano. Após rebote de Hotton, Mineiro pegou a sobra, cortou a marcação e mandou para o gol: 3 a 2.

Na saída, o Mogi entregou a bola para o adversário, que foi para o ataque e teve uma falta a favor pelo lado direito. Danilo chuveirou na área e Mineiro desviou para empatar o jogo. E o que era quase improvável aconteceu no minuto seguinte. O Sapo tentou sair para o jogo no toque, mas, perdeu a bola. O Atibaia atacou pela direita e teve nova falta para cobrar.

Novamente Danilo cruzou, houve um desvio no meio da área até a bola sobrar limpa para Mascote fuzilar para o gol. Uma virada espetacular em apenas três minutos. Ao fim do jogo, muita comemoração dos visitantes, e lamentações pelos lados do Mogi. 

Nenhum comentário:

Leave a Reply

Scroll to top