Impasse pode gerar greve nas linhas de ônibus

Por Flávio Magalhães

O Sindicato dos Condutores de Mogi Guaçu e Região promete uma paralisação geral dos ônibus do transporte público de Mogi Mirim caso a Viação Fênix não pague o vale dos funcionários no próximo dia 25. A informação foi confirmada pelo presidente da entidade Gessy Alves de Oliveira .

Segundo Oliveira, a postura do sindicato é uma resposta a um posicionamento da Viação Fênix, que teria protocolado documento na entidade sindical atribuindo a possibilidade de um não pagamento do vale (que corresponde a 40% do salário dos trabalhadores) a um desacerto com a Prefeitura de Mogi Mirim no reajuste da tarifa de transporte urbano.

“O sindicato está repudiando esse tipo de ação”, reforçou Oliveira. “É um serviço essencial [o transporte público], nós não queremos prejudicar a população, mas os trabalhadores também não podem ser prejudicados por esse problema entre Prefeitura e empresa”, explicou para a reportagem de A COMARCA.

Questionada se realmente deixaria de pagar parte dos salários de seus funcionários no próximo dia 25 por falta de recursos financeiros, caso não conseguisse o reajuste da tarifa de ônibus em Mogi Mirim, a Viação Fênix afirmou para A COMARCA que não vai comentar o assunto. A passagem do transporte público local não sofre reajustes desde 2015.

Já a Prefeitura confirmou que a empresa tem insistido junto ao Gabinete para dar início às negociações de reajuste da tarifa, mas o prefeito Carlos Nelson Bueno (PSDB) recusou as solicitações, pois entende que a Viação Fênix precisa resolver os problemas atuais, como compromissos assumidos com o Município em relação a itinerário e pontualidade.

RECLAMAÇÕES
Nesta semana, a empresa foi alvo de reclamações na Câmara Municipal, quando a vereadora Maria Helena Scudeler de Barros (PSB) trouxe à tribuna as queixas de moradores do entorno da Praça Floriano Peixoto, o Jardim Velho, de que o início das operações das linhas urbanas causa incômodo e barulho excessivo a partir das 4h30 naquela região.

A reportagem de A COMARCA também foi procurada por Érica Gisele Nunes da Silva, moradora de Mogi Guaçu e que trabalha em Mogi Mirim, que perdeu R$ 180 na transferência de cartões de passe entre a Santa Cruz e a Fênix. A reclamação é de que a empresa não informou nenhum prazo para o resgate do passe antigo e não está mais aceitando a transferência.



Nenhum comentário:

Leave a Reply

Scroll to top