Agricultores locais declaram apoio ao movimento grevista

Flávio Magalhães

Na manhã da última quinta-feira, 24, produtores rurais de Mogi Mirim anunciaram apoio à greve dos caminhoneiros. Eles se mobilizaram e reuniram seus tratores e demais veículos agrícolas no posto de combustível RVM, na principal entrada da cidade.

LEIA MAIS:
Mogi Mirim decreta situação de emergência
Caminhoneiros param o país e cidade sente efeitos

Segundo explicou o agricultor Claudio Manara, os produtores rurais dependem tanto do óleo diesel quanto os caminhoneiros, e possuem também pesados custos de produção. “Se a gente não fizer isso, vai faltar alimento na mesa da população”, defendeu, lembrando que o transporte da produção também afeta o preço final dos produtos.

No fim da tarde, cerca de 80 agricultores iniciaram um “tratoraço” e entraram na cidade pela Avenida Pedro Botesi. Fizeram uma parada rápida no Gabinete do prefeito Carlos Nelson Bueno (PSDB), que foi à rua acompanhar o protesto. Acompanhado do Secretário de Agricultura, Valdir Biazotto, ele se solidarizou ao movimento.

“O momento em que vivemos é bastante delicado e precisamos voltar a crescer. A manifestação é legítima, tem suas consequências, mas é o momento de juntar forças para que o país possa ser reconstruído com trabalho”, afirmou o chefe do Executivo. Em seguida, os produtores rurais seguiram para a Avenida da Saudade e subiram a Rua Dr. José Alves, onde fica o Paço Municipal e a Câmara de Vereadores.

Já na praça Rui Barbosa, eles deram a volta por trás da igreja Matriz de São José, promovendo um “buzinaço” e chamando a atenção dos pedestres. Após contornar a praça, o movimento seguiu pela Rua 13 de Maio, sentido Santa Cruz. A COMARCA transmitiu a manifestação ao vivo em sua página no Facebook, onde o vídeo ainda está disponível.



Nenhum comentário:

Leave a Reply

Scroll to top