Luiz Guarnieri vence nova eleição na Acimm

Agora é para valer. A chapa ‘Renovação’ venceu novamente a eleição para escolha da nova diretoria executiva, bem como os novos conselhos consultivos, deliberativos e da mulher empresária, e inicia a partir de segunda-feira, 14, a nova gestão à frente da Associação Comercial e Industrial de Mogi Mirim (Acimm). Com 175 votos, a chapa superou seus concorrentes na votação ocorrida durante toda a sexta-feira, 11, nas dependências da entidade.

“Vamos trabalhar para fazer da Acimm uma entidade diferenciada e referenciada na região”, disse o empresário Luiz Antonio Guarnieri, o novo presidente da Acimm, ao término da apuração dos votos. A chapa ‘Acimm para Todos’, encabeçada por Reynaldo João Milani Filho como candidato a presidente, recebeu 114 votos, e a chapa ‘Transparência e Competência’, do presidente interventor Jorge Antonio Barbosa, teve 91 votos. Houve ainda dois brancos e três nulos, totalizando 385 votos.

Com a presença dos três principais candidatos, a votação foi aberta às 10h, já que na primeira convocação, às 9h30, não havia quórum suficiente. Ao ler a ata de abertura da eleição, Barbosa disse que as três chapas procuraram trabalhar para que o maior número de associados comparecesse e depositasse o seu voto. Havia uma expectativa de que o número de votantes chegasse perto de 500 associados. Foram 385, cerca de 30% de um total de 1,3 mil associados.

Os três candidatos a presidente, assim como outros membros das chapas concorrentes, também acompanharam o final da votação e a apuração dos votos. E no final, Barbosa e Reynaldo fizeram questão de cumprir Luizinho Guarnieri pela vitória. Como já havia vencido na eleição realizada no dia 16 de março, cujo resultado foi anulado em acordo judicial, o empresário reforça o anseio do associado por mudança.

“Ele (associado) clama por mudança. E essa mudança é agora. Sabemos que com isso, aumenta a nossa responsabilidade. Mas eu não tenho medo da responsabilidade. Vamos mostrar o que viemos fazer, desenvolvendo nosso planejamento de trabalho. Com paciência, determinação, força e vontade. Nosso principal foco será o associado. É disso que precisamos”, frisou.

Para o novo presidente, a Acimm precisa estar voltada para as necessidades do associado. “Podemos até fazer uma pesquisa com os nossos colaboradores e diretores de ouvir o associado, de saber o que eles mais necessitam, que tipo de mudança esperam. Somente assim, vamos melhorar a participação do associado, melhorando a economia, gerando emprego e renda”, destacou.

A votação de ontem substituiu a eleição realizada no dia 16 de março, que foi anulada durante audiência de conciliação convocada no início de abril pela juíza Fabiana Garcia Garibaldi, para que houvesse um consenso entre a Acimm e a chapa ‘Renovação’, dentro da ação movida pela oposição para assegurar o direito de participar do pleito.

O imbróglio judicial na Acimm começou depois que a entidade apontou infrações cometidas pela ‘Renovação’ no registro da chapa, já que quatro dos membros não teriam atendidos os requisitos estatutários. Por essa razão, houve a impugnação automática. A defesa da ‘Renovação’ chegou a apresentar um pedido à Acimm, que reconsiderasse da decisão.

Como a Acimm manteve a impugnação, a defesa decidiu acionar a Justiça. Na véspera da eleição, a juíza Fabiana Garibaldi expediu uma liminar, assegurando a participação da chapa na eleição, que saiu vencedora na ocasião com 113 votos, contra 88 da chapa da situação ‘Acimm para Todos’, Os membros da ‘Renovação’ não puderam assumir, porque precisavam aguardar o desfecho da ação judicial.

Na audiência de conciliação. Guarnieri queria a manutenção do resultado na urna. A diretoria da Acimm, no entanto, não aceitou o resultado da eleição, porque não podia agir contra o estatuto, que previa a exclusão de chapa.
Como não houve acordo nesse sentido e temendo ações jurídicas que pudessem atrapalhar o andamento da entidade, a magistrada sugeriu a nomeação de um interventor para que realizasse uma nova eleição, anulando todo o processo realizado até então. Com a indicação de Jorge Barbosa, a juíza determinou que nova eleição fosse realizada em 30 dias e a ação foi extinta.


Nenhum comentário:

Leave a Reply

Scroll to top