Menores internos acusados de agredir homem até a morte

Cinco menores da semiliberdade da Fundação Casa, antiga 'Febem', localizada no bairro Saúde, são apontados como autores das agressões que levaram o itapirense Ademir Aparecido Soares da Silva, de 39 anos, à morte. O crime aconteceu sexta-feira, 4, e foi elucidado pela Polícia Civil de Mogi Mirim, em cinco dias de investigações.

A Polícia Civil teve conhecimento do assassinato, quando uma das irmãs da vítima, procurou o plantão policial no início da madrugada do sábado, 5, com a informação de que seu irmão saiu da casa da família por volta das 13h30 do dia anterior, com destino a seu trabalho. Porém, às 23h do mesmo dia, a família recebeu uma ligação da Santa Casa de Mogi Mirim com a informação de que Ademir havia dado entrada no hospital por volta das 19h40, em estado grave e, não resistindo aos ferimentos, veio a falecer.

Familiares estiveram na Santa Casa e fizeram contato com o SAMU, tomando conhecimento de que Ademir foi encontrado gravemente ferido na rua Firmino Whitaker, próximo da rua Paissandu, região central da cidade. Segundo as informações fornecidas pelo SAMU à família, a vítima estava caída na rua com vários ferimentos causados por agressões.

Horas antes dos familiares procurarem a Polícia Civil, os guardas municipais Magnan e Moraes foram acionados até a praça Floriano Peixoto, o Jardim Velho, para averiguar denúncias de que cinco menores da Fundação Casa estariam andando com uma moto em cima da praça.

Quando os GCMs chegaram, encontraram a moto estacionada e os menores na praça. Eles foram indagados e disseram não saberem nada sobre os fatos, pois tinham acabado de sair da aula.

A moto foi apreendida e, através de pesquisa, foi constatada que ela pertencia a Ademir, mas não havia queixa de nenhum crime relacionado.

Com todos estes fatos, os policiais civis deram início às investigações. Buscaram por imagens de câmeras de segurança nas proximidades do Jardim Velho e das ruas Padre José, Paissandu e Firmino Whitaker. Ouviram também moradores das proximidades que relataram terem ouvidos gritos e a frase: “Aqui é Campinas”.

Pelas imagens das câmeras de segurança, foi possível notar um homem correndo pela rua Padre José, seguindo pela Paissandu e, posteriormente, pela Firmino Whitaker. Ele estava sendo seguido por alguns elementos. Também há imagens que registraram o momento da violenta agressão, que teria iniciado as 18h59, inclusive com golpes na cabeça da vítima, após a mesma estar no chão. 

As imagens possibilitaram o reconhecimento dos autores, e na tarde da quinta-feira, 10, os investigadores seguiram para a unidade de semiliberdade da Fundação Casa e levaram para a Delegacia Central, cinco dos suspeitos, que acabaram confessando o crime. Eles têm idades entre 15 e 17 anos, são de Campinas, Limeira e Nova Odessa e estão apreendidos pelos crimes de roubo e tráfico de drogas.

Ao serem indagados, negaram o crime num primeiro momento, mas acabaram confessando, ao terem conhecimento de que toda a ação estava gravada. Eles relataram que começaram a perseguir a vítima, após um desconhecido passar por eles e gritar “jack”, porém, esta motivação ainda não está confirmada e as investigações terão continuidade. 

Devido ao assassinato, foi expedido um novo mandando de apreensão e os menores responderão pelo crime de homicídio.



Nenhum comentário:

Leave a Reply

Scroll to top