Secretaria de Saúde sofre segunda baixa

Considerada uma das pastas mais complexas de Mogi Mirim, a Secretaria de Saúde terá um novo comando. A partir de segunda-feira, 21, a enfermeira Rosa Ângela Iamarino, com especialização em pediatria e administração hospitalar, assume a secretaria no local de Rosemary Fátima Silva, a Rose, que solicitou o seu desligamento ao prefeito Carlos Nelson Bueno (PSDB).

Segundo nota divulgada pela Assessoria de Comunicação da Prefeitura, Rose informou, em sua carta de exoneração, que a decisão de deixar o comando da secretaria é por “motivos particulares”. Ela agradeceu a confiança nela depositada como secretária e reiterou que continuará trabalhando em prol da Saúde, já que é servidora pública há 31 anos.

Assim como a antecessora, Rosa é funcionária na Prefeitura de Mogi Mirim. Ela atua há 33 anos na área pública, tendo já dirigido a Secretaria Municipal de Saúde em Itapira, município na qual foi a responsável pela organização e implantação do Hospital Municipal.

Carlos Nelson aceitou o pedido de desligamento de Rose e agradeceu todo o empenho dela à frente da Saúde do município, destacando feitos como, por exemplo, a implantação da UPA 24h. “Sabemos que a Rose seguirá ajudando a cidade em sua função profissional e agradeço o empenho e dedicação ao Governo”. Como Rose está em férias, Rosa Iamarino já vem respondendo pela Secretaria de Saúde nos últimos dias.

Com a saída de Rose do comando, a Secretaria de Saúde sofre sua segunda baixa de titular na gestão CNB. No dia 1º de fevereiro do ano passado, apenas um mês após o prefeito assumir o mandato, o psicólogo e psicanalista Elias Resek Ajub entregou o cargo de secretário de Saúde. O principal motivo de seu desligamento foi a crise entre Prefeitura e Santa Casa de Misericórdia quanto ao atraso no pagamento ao hospital, que gerou greve dos médicos e paralisação de setores essenciais no atendimento à população.

A demora na apresentação de uma proposta ao hospital por parte do Poder Público e a falta de autonomia pesaram na decisão. “Não tenho a caneta na mão, não me foi dada autonomia para negociar, e muito menos para realizar propostas de pagamento. É uma coisa que não posso compactuar, principalmente quando está se tratando de vidas humanas”, desabafou, na época.

Com a saída de Elias, a recém nomeada gerente da Secretaria de Saúde, Rose Silva, assumiu o comando da pasta.


Umas das principais marcas de Rose na Saúde foi a inauguração da UPA 24h

Nenhum comentário:

Leave a Reply

Scroll to top