Comércio da Padre Roque sofre com furtos e invasões

Considerada o principal eixo de ligação de quem acessa a cidade para as demais regiões, a rua Padre Roque tem se tornado um prato cheio para os ladrões que praticam pequenos furtos em busca de dinheiro e produtos que possam ser usados na compra de entorpecentes. Uma das principais vias comerciais de Mogi Mirim fica praticamente deserta durante a noite, com o fechamento das lojas. E isso tem causado prejuízo para muita gente.

Para se ter uma ideia do drama vivido pelos comerciantes da Padre Roque, uma loja de consórcio foi alvo de ladrões por três vezes, em menos de uma semana. E nas três oportunidades, o sistema de monitoramento interno flagrou a ação. Na primeira vez, ocorrida na quarta-feira, 23, as imagens mostram que o suspeito não invadiu a loja. Ele chegou a forçar a abertura da porta, mas, teria escorregado e batido a cabeça. Por isso, foi embora.

A segunda vez aconteceu no sábado, 26. Desta vez, o invasor forçou a abertura da porta, entrou e levou um pequeno cofre que ficava na primeira mesa. Já na terceira vez, registrada na madrugada de terça-feira, 29, ladrões arrombaram a porta, entraram e deixaram a loja com um televisor.

Os dois primeiros crimes foram praticados por uma única pessoa, que agiu cobrindo o rosto com uma coberta. Já o terceiro e último casos, os ladrões estavam de ‘cara limpa’, ou seja, agiram sem esconder o rosto. “Eles foram mais ousados. Um deles, inclusive, ficou um pouco mais, provavelmente analisando o local. E temos computadores aqui dentro”, comentou Carlos Roberto Barbosa, responsável pela loja.

Barbosa já não tem mais dúvidas: terá que reforçar a segurança do estabelecimento. “Vamos colocar travas nas portas e estamos pensando até numa grade. Está preocupante a situação. Depois que as lojas fecham, a Padre Roque fica vazia. E eles (ladrões) ficam à vontade, sabem que ninguém vai aparecer. Precisamos de mais policiamento. As viaturas poderiam passar aqui vez ou outra para inibir”, comentou.

Segundo Barbosa, os comerciantes da Padre Roque precisam se adaptar à rotina dos ladrões. “Ficar aqui depois das 20h dá até medo. Vamos ter que fechar no horário que todos fecham”, adiantou. E não foi somente a loja de consórcio invadida nos últimos dias. Uma locadora de veículos também foi alvo dos invasores. Eles forçaram a abertura da porta, entraram e levaram uma impressora.

O estabelecimento teve que trocar o batente da porta. E para aumentar a segurança, passaram a fechar a porta de aço. Uma doceria próxima também já foi invadida duas vezes. Na primeira, segundo o proprietário Luis Carlos de Souza, os ladrões invadiram o local depois de quebrarem o blindex da porta com duas pedras. Por conta do alarme disparado, eles pegaram a gaveta do caixa e fugiram.

“Tinha uns R$ 30 ou R$ 40. E jogaram a gaveta na rua”, contou. Uma semana depois, nova invasão. Desta vez, os ladrões arrombaram a porta e entraram na loja. Levaram novamente o pouco que tinha no caixa. O comerciante lamenta a situação. “Faz quatro anos que estou neste ponto e foram as duas primeiras vezes que invadiram”, disse Souza que espera por uma atenção maior do policiamento.

Imagens mostram o momento da invasão na loja de consórcio


Nenhum comentário:

Leave a Reply

Scroll to top