Nova integração é limitada para 4 linhas

Flávio Magalhães

A Prefeitura e a Viação Fênix, empresa que controla a Santa Cruz Transporte e detém a concessão do transporte público em Mogi Mirim, anunciaram que o novo sistema de integração valerá para apenas quatro linhas no município. No entanto, conforme o próprio prefeito Carlos Nelson Bueno (PSDB) havia determinado, não houve nenhuma alteração nos itinerários atuais.

Desde terça-feira, 7, as linhas 8 (Planalto/Martim Francisco), 13 (Mato Dentro), 14 (Sol Nascente) e 17 (Pirapitingui) terão integração exclusivamente com a linha 10 (Santa Úrsula x Santa Cruz), que passa pela região da Unidade de Pronto Atendimento (UPA), na zona Leste. Segundo o secretário municipal de Trânsito, Transporte e Serviços, José Paulo da Silva, a questão da Saúde foi prioridade para os estudos da nova integração.

Segundo informou o secretário, todas as demais regiões da cidade já conseguem o deslocamento para a UPA pelo atual sistema de transporte público. E com a integração em vigor, os passageiros das linhas 8, 13, 14 e 17 (que vão até a região central, apenas) também terão a possibilidade de pagar apenas uma passagem para chegar à unidade de saúde da zona Leste, ao tomarem a segunda condução.

Como a linha 10 ganha mais importância para esses passageiros, pois permite o acesso à UPA, a Viação Fênix anunciou que vai aumentar o horário de circulação dessa linha, especificamente, para às 23h40, todos os dias da semana. Isso porque, até então, ela funcionava até às 19h de segunda a sexta, até às 13h aos sábados e não circulava no domingo. Será a única mudança, de fato, nos horários das linhas.

EQUÍVOCO
O secretário de Trânsito e Transportes, José Paulo da Silva, admitiu que a integração anterior, que registrou muitas reclamações dos passageiros, não saiu como a Prefeitura desejava. “Não era o que queríamos, nossa preocupação é melhorar o serviço para todos”, explicou.

Desde o último dia 20, a Fênix voltou a operar com os itinerários antigos, por ordem da Administração Municipal, após receber diversas reclamações sobre as mudanças das linhas, que foram completamente alteradas, desde o trajeto até a numeração.

Carlos Nelson ainda teceu críticas à concessionária do transporte público. “Houve aí uma ousadia da empresa que tomou uma atitude unilateral, não submeteu as mudanças previamente [à Prefeitura]”, justificou o chefe do Executivo. “Amadorismo e ousadia”, resumiu à imprensa na semana passada.



Nenhum comentário:

Leave a Reply

Scroll to top