Parceria rende plantio de 255 mudas neste ano

Uma ideia que nasceu em janeiro de 2015, saiu do papel, tomou forma, fez acontecer e se firmou. Hoje, quatro anos depois, é um projeto ambiental de sucesso, reconhecido entre a comunidade, tanto esportiva e ambiental, quanto do público em geral. É o projeto de reflorestamento Podium Verde, fruto de uma parceria entre a atleta Mirlene Picin e a empresa Visafértil.

A dinâmica é simples: somar uma quantidade de mudas a cada pódio da atleta, da primeira a quinta colocação, em eventos de corrida, biathlon de inverno ou ski cross country. Ou seja, ‘trocar’ medalhar por mudas de árvores destinadas ao reflorestamento. E no final do ano, a totalidade das mudas somadas referentes aos resultados, são plantadas em áreas de reflorestamento, já existentes e mantidas pela Visáfertil. Neste ano de 2018, são 255 mudas plantadas.

“Quando apresentei a ideia à empresa, entre dezembro de 2014 e janeiro de 2015, o projeto foi aceito imediatamente. A ideia era muito boa e estava muito bem encaixada no contexto de ambas as partes, tanto a minha como atleta, quanto a da empresa, no ramo de atuação de fertilizantes orgânicos”, destacou Mirlene.

Mika, como é mais conhecida, pratica duas modalidades extremamente ligadas à natureza: a corrida de montanha e o ski, tendo este último um agravante. “O aquecimento global é real, e nos últimos anos minha modalidade de inverno já vinha sofrendo com o cancelamento de vários eventos pela falta de neve em alguns locais”, apontou.

Da parte da Visafértil, a empresa e o presidente Ulisses Girardi já realizavam vários projetos de cunho socio-ambiental e educativo, sendo premiada e reconhecida pelo seu trabalho social e comprometimento com a sociedade. “Gosto muito do projeto Podium Verde, pois ele é importante, não só pela reposição florestal, com plantas nativas da Mata Atlântica, mas também para divulgar para as comunidades, as suas ações sociais e ambientais”, ressaltou a atleta.

Para Girardi, o projeto é uma forma de mostrar que é possível o esporte caminhar junto com empresas para construir um pensamento coletivo da importância de manter o meio ambiente, para o bem das gerações presentes e futuras”, argumentou.

Em quatro anos de projeto, o resultado esportivo gerou para o meio ambiente 1.245 mudas plantas. As áreas de reflorestamento e preservação estão localizadas em Mogi Mirim, sede da empresa e cidade natal da atleta, e em Benedito Novo, Santa Catarina, onde Ulisses Girardi mantém uma área há muitos anos.

"Já disse isso antes e repito, o projeto trouxe de volta para mim a motivação em competir. Não que a competição em si, os resultados e as medalhas não me motivem, mas com o projeto, as coisas passaram a ‘voltar a ter sabor’, deixando aquela sensação de que estamos fazendo algo mais, por nós mesmos e pelas gerações futuras. O apoio que tenho da Visafértil como atleta é de fundamental importância para que eu possa seguir treinando, competindo, e carregando a bandeira do meio ambiente", frisou.


Mirlene Picin e Ulisses Girardi

Nenhum comentário:

Leave a Reply

Scroll to top