Projeto desenvolvido por alunos da Fatec é premiado em feira tecnológica

Pela terceira vez nos últimos anos, alunos da Faculdade de Tecnologia (Fatec) “Arthur de Azevedo” foram premiados na Feira Tecnológica do Centro Paula Souza (Feteps). Os responsáveis pela conquista foram os estudantes de Mecatrônica Industrial Glébson Henrique Francisco e Kleython Rodrigues da Silva, que desenvolveram em conjunto com os professores e orientadores Eliandro Rezende da Silva e  Márcio Rodrigues Sabino, o “Capacete IOT”.

O projeto vencedor na categoria Saúde e Segurança consiste na criação de uma plataforma de hardware e software, instalada em um capacete, que permite o acesso em tempo real de informações acerca do condutor com a finalidade de detectar situações fora do padrão de utilização comum, isto é, que consiga detectar possíveis acidentes que envolvam o motociclista, além de tomar medidas apropriadas para agilizar o atendimento médico, quando necessário.

Fazendo uso de uma conexão Bluetooth, um GPS e alguns outros componentes, o sensor do capacete deve ser capaz de transmitir com precisão a localização do condutor, além de informações como o nível de consciência, seus batimentos cardíacos, a velocidade do acidente e a intensidade dos danos ao capacete. De acordo com os alunos, o intervalo entre a ocorrência e a comunicação é de aproximadamente 60 segundos, o que aumenta as chances de sobrevivência da vítima.

Em entrevista para A COMARCA, os estudantes relataram que a ideia surgiu após observarem algumas notícias de acidentes nos quais os ciclistas ou motociclistas ficaram desaparecidos após um acidente, sem nenhuma possibilidade de socorro. A motivação também pesou. Tanto Kleython, quanto Glébson são motociclistas. “Às vezes a gente está na estrada, de madrugada, aí a gente acaba imaginando ‘se eu cair aqui, quem vai me ajudar se eu precisar?’ Então a ideia surgiu daí”, relatou Kleython. Para ele, são nessas situações, que o dispositivo poderia atuar, ajudando nesse tipo de situação e evitando uma possível fatalidade.

Tendo em mente a segurança no trânsito, os alunos procuraram o professor Eliandro, em busca de auxílio no desenvolvimento da pesquisa. E, conforme o projeto foi tomando forma, o professor Márcio também se envolveu na pesquisa, que no momento é a responsável pela bolsa de iniciação científica recebida por um dos estudantes.

O diretor da Fatec, André Luis Giraldi, ressaltou que esse foi o primeiro ano em que a unidade de Mogi Mirim passou a receber incentivos para pesquisa, vindos diretamente do Centro Paula Souza. E, logo no primeiro ano, conquistar também a premiação na Fetesp é um resultado a ser comemorado. “Logo no primeiro ano já recebemos bons resultados, então eu acho que a tendência é melhorar”, afirmou.

DESENVOLVIMENTO
Nas projeções futuras, o objetivo é ampliar o funcionamento do sensor, para atuar em caráter de emergência, como as ligações para a Polícia ou Bombeiros, por exemplo, não dependendo da conexão de redes móveis, além de cadastrar contatos de emergência e ficha médica do condutor. A possibilidade de customizar o perfil do usuário também se encontra na projeção de atualizações futuras do produto.

O “Capacete IOT” também será apresentado na 18ª edição do Congresso Nacional de Iniciação Científica (Conic), o maior congresso de iniciação científica do país.

O diretor André Giraldi (à esquerda) com os orientadores Eliandro e Márcio, e os alunos Kleython e Glébson


Nenhum comentário:

Leave a Reply

Scroll to top