Manara garante vaga nos Jogos Parapan-Americanos de 2019

O mesatenista Luiz Filipe Guarnieri Manara já deu seu primeiro passo para voltar a disputar uma Paraolimpíada. Na última segunda-feira, 10, ele venceu a seletiva do tênis de mesa paralimpico brasileiro e conquistou a vaga, da classe 8, para os Jogos Parapan-Americanos, que serão disputados no período de 23 de agosto a 1º de setembro de 2019, em Lima, no Peru. Será o estágio final para garantir um lugar na delegação brasileiro que disputará os Jogos Paralimpicos de Tóquio, em 2020.

Percorrer de novo o ciclo olímpico com o resultado final positivo foi a meta traçada por Manara em 2018. Por isso, para repetir o cenário do ciclo anterior, quando venceu a seletiva, foi campeão Parapan-Americano nos jogos de Toronto, no Canadá, em 2015, e esteve na Rio 2016, o mesatenista fez uma preparação especial. E tudo caminha para um desfecho favorável, como da vez anterior.

A seletiva aconteceu segunda e terça-feira, 11, no Centro Paralímpico Brasileiro, em São Paulo. O Comitê Organizador do Parapan 2019 definiu 34 vagas para o tênis de mesa brasileiro, sendo 22 no masculino e 12 no feminino. Na categoria de Manara, havia somente uma vaga em disputa para o Parapan. Para não ter que depende de uma indicação técnica, o mesatenista sabia que sua chance de classificação era ganhar a seletiva.

Confiante, Manara não deu chances aos adversários. Fez quatro partidas e venceu as quatro, todas por 3 a 0. A primeira foi contra João Fernando Martins do Nascimento Junior, do Paraná (11/9, 11/7 e 11/9); depois, foi sobre Lucas Fagundes Grilo, de Jundiaí (11/5, 11/6 e 11/9); a terceira foi em cima de Alexon Chilis Piccolin, do Rio Grande do Sul (11/5, 11/5 e 11/7); e a última sobre Gustavo Laskosky, de Santa Catarina (11/4, 11/3 e 11/6).

“Não perdi nenhum set. Errei pouco, dei poucas chances aos adversários. Vinha num volume bom de jogo. Me preparei para isso. Foram quatro a cinco meses de preparo físico, técnico e psicológico”, apontou. Manara também creditou a conquista da vaga no Parapan à medalha de ouro que faturou na Copa Tango, disputada na Argentina no período de 29 de novembro a 3 de dezembro.

“Chegou um momento em que a Copa Tango era até mais importante do que a Seletiva. Pois, se eu conseguisse jogar bem lá, contra atletas de alto nível, teria a tranquilidade necessária para conquistar a vaga aqui. Isso me daria uma moral muito grande. Me deu confiança para jogar a seletiva em alto nível”, ressaltou.
Agora, o foco é o Parapan. “É uma competição totalmente diferente de tudo. Tenho que estar bem psicologicamente, mas também tecnicamente”, explicou. Em cima disso, vai sentar com seu treinador para montar o planejamento para 2019. “Acredito que será mais complicado do que foi em 2015. Tenho pelo menos uns quatro concorrentes”, adiantou.

Para ele, seus principais oponentes são um brasileiro, um canadense, um costarriquenho e um chileno correndo por fora. “Tenho uma vantagem que os outros não têm que é de que já ter ganho um Parapan, sei o caminho das pedras, mas, tenho de fazer uma boa preparação para chegar com muito volume técnico. E estudar os adversários. O da Costa Rica ainda não vi jogar e não sei se terei oportunidade de enfrentá-lo. Então, precisamos ir a fundo no seu jogo para não ser surpreendido por algo que podia ser estudado antes”, citou.

Manara sabe o que quer e não vai medir esforços para conseguir novamente a vaga para uma Paraolimpíada. “O primeiro passo para Tóquio 2020 já foi dado. Quero buscar essa vaga. Trabalhei ao máximo em 2018 para chegar aonde cheguei e em 2019 será bem mais. Já consegui uma vez, por isso, sei da minha capacidade técnica em relação a meus adversários”, apontou.

O mesatenista fez questão de agradecer ao apoio que recebeu da Ponto Alto Empreendimentos Imobiliários e da Visafértil.

Manara terá um ano de 2019 importante com a disputa do Parapan, em Lima, no Peru


Nenhum comentário:

Leave a Reply

Scroll to top