Prefeitura vistoria alojamento do Mogi Mirim E. C.

A Prefeitura de Mogi Mirim, por meio da Central de Fiscalização, realizou na quinta-feira, 14, diligência no alojamento do Estádio Vail Chaves. O objetivo foi averiguar o cumprimento às normativas de segurança de estrutura e precaução aos incêndios, prevenindo, assim, riscos à vida e ao meio ambiente. Segundo a Prefeitura, são ações que acontecem com periodicidade no município.

Através da gestão terceirizada, sob o comando de um grupo ligado ao empresário sul-coreano Mario Choi e ao jogador Diego Medeiros da Silva, o Mogi Mirim mantém atletas no estádio, principalmente, das categorias de base. Na ocasião, foi constatada a falta de documentos essenciais para a realização de atividades no local, tais como o alvará de funcionamento e o AVCB (Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros).

Os responsáveis pelas atividades no clube foram notificados sobre a ausência da documentação. “O estádio está passando por um processo administrativo de averiguação das condições para renovação dos laudos e, consequentemente, do alvará de funcionamento”, disse o empresário Jaime Marcelo.

Marcelo é proprietário da empresa de gestão e consultoria esportiva J Winners. Ela firmou um acordo com a DA Sports Agency, que é o grupo gestor que está comandando o futebol do Mogi Mirim, para prestar serviço de consultoria no clube. E dentre as suas atribuições, está o processo de regularização do estádio Vail Chaves.

“Estamos em sintonia com a Prefeitura para que a gente possa colocar a casa em ordem. Pela primeira vez, vejo a Prefeitura e a gestão trabalhando em prol da instituição Mogi Mirim Esporte Clube. Mas, não é uma situação que iremos resolver do dia para a noite. Mas, estou confiante que em pouco tempo, o estádio estará regularizado”, adiantou.

A diligência da Prefeitura foi acompanhada por profissionais da Vigilância em Saúde e integrantes do Conselho Tutelar, já que há muitos adolescentes entre os alojados no estádio. A documentação dos cerca de 20 atletas que ainda estão alojados está regular e todos frequentavam as unidades escolares da cidade.

São atletas de Mogi Mirim, mas também há garotos de outros Estados e até mesmo de outros países. Os responsáveis pela permanência desses menores no alojamento informaram que já estão realizando a transferência dos adolescentes. “Até resolvermos essas pendências, vamos liberá-los, mas, eles retornarão quando tudo estiver em ordem”, disse.

Caso situação não seja regularizada, alojamento do Mogi Mirim Esporte Clube poderá ser interditado


Nenhum comentário:

Leave a Reply

Scroll to top