UPA teria dispensado paciente com costelas quebradas e pulmão perfurado

Flávio Magalhães

Um homem de 56 anos teria sido dispensado da Unidade de Pronto Atendimento (UPA), na zona Leste da cidade, mesmo com quatro costelas quebradas e um pulmão perfurado. A vítima, que sofreu um acidente de moto no início de janeiro, morreu na última segunda-feira, 11, após quase 40 dias de internação na Santa Casa de Misericórdia.

Segundo informações obtidas por A COMARCA, a filha da vítima comunicou às autoridades policiais que o acidente de trânsito aconteceu na noite de 3 de janeiro, na rodovia SP-340. O resgate da Renovias encaminhou o homem de 56 anos à UPA. Na unidade de saúde, ele foi atendido, medicado e liberado posteriormente.

Ainda segundo esse mesmo relato, no dia seguinte ao acidente, a vítima começou a sentir fortes dores e retornou à UPA. Dessa vez, foi encaminhado com urgência para a Santa Casa. Lá foi diagnosticado com uma hemorragia craniana, sendo submetido a um coma induzido. Também foram identificadas quatro costelas fraturadas e um pulmão perfurado. O homem faleceu na última segunda-feira, 11, após piora do estado clínico.

A COMARCA questionou a Prefeitura sobre os fatos relatados pela filha vítima, bem como se a Secretaria de Saúde pretendia instaurar algum tipo de investigação para apurar possíveis responsabilidades no primeiro atendimento prestado ao homem acidentado. Sobre essa última questão, a Administração Municipal não se posicionou até o fechamento desta edição.

Sobre o atendimento realizado na UPA, a Prefeitura informou que, de fato, o paciente em questão recebeu o primeiro atendimento no dia 3 de janeiro, por volta das 19h30. Na ocasião, ele permaneceu em observação até o início da madrugada do dia 4. “A alta hospitalar foi concedida, pois o quadro clínico não apresentou quaisquer alterações e havia condições para o retorno à residência”, alegou a Administração Municipal.

Também foi confirmado pela Prefeitura que, ao final da tarde do dia 4, o paciente retornou à UPA. “Neste atendimento, o munícipe ficou em observação e houve também a solicitação de exames. Após análise, o médico solicitou, via Samu, a transferência do paciente para atendimento no Pronto Socorro da Santa Casa”, informou a nota enviada à redação de A COMARCA.

Desde o fechamento da Unidade de Atendimento Não Agendado (Uana), o Pronto Socorro da Santa Casa de Misericórdia passou a funcionar a portas fechadas, isto é, recebendo diretamente os encaminhamentos de urgência e emergência. É o caso da UPA, que apenas encaminha ao Pronto Socorro os casos considerados mais graves.



Nenhum comentário:

Leave a Reply

Scroll to top