Após pressão, governo fornece merenda para Etec

A problemática enfrentada pela Escola Técnica (Etec) ‘Pedro Ferreira Alves’ em relação à merenda escolar foi solucionada, momentaneamente, com o envio de 60 quilos de carne e outros insumos e mantimentos por parte do Governo do Estado para a instituição de ensino. Com isso, uma manifestação alusiva ao tema, que estava sendo preparada pelo Grêmio Estudantil da Etec, foi cancelada.

Desde o ano passado, a escola vem enfrentando problemas quando ao volume e aos itens da merenda fornecidos pela Secretaria Estadual de Educação. De acordo com o diretor da unidade mogimiriana, André Luiz dos Santos, o envio dos itens tem como base a média de refeições consumidas pelos alunos. De 1 mil refeições, o Estado passou a fornecer itens para 500 refeições a partir de novembro.

“Quando tem sardinha na merenda, uns 200 comem. Quando tem estrogonofe, 800 comem. Eles tiraram a média e passaram a fornecer pela média. É pouco e a gente pediu para aumentar”, disse. Como o volume continuou baixo, a Etec teve que usar o estoque de reserva para suprir a demanda dos alunos. E o estoque da escola chegou ao final na quarta-feira, 10.

Com isso, não havia insumos para a merenda de quinta-feira, 11. “Só tinha arroz. Nós tivemos que comprar ovo e óleo com recursos da APM (Associação de Pais e Mestres) para garantir o almoço”, apontou o diretor. Na quinta-feira, a Etec serviu arroz, farofa e ovo como merenda para os alunos. “E já tínhamos programado com os alunos de que eles trariam marmita de casa para sexta-feira”, acrescentou.

Mesmo com a solução para o último dia útil da semana, André Luiz acionou o vereador Cristiano Gaiotto (PP), na tentativa de encontrar alternativas para o problema. Gaiotto estava a caminho de São Paulo e aproveitou sua passagem pela capital paulista para pedir ajuda ao deputado estadual Rafa Zimbaldi para a questão da merenda na Etec 'Pedro Ferreira Alves'.

Segundo Gaiotto, Zimbaldi atendeu a solicitação e intermediou conversas do vereador com a Secretaria Executiva da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, com o Centro de Paula Souza e com a Secretaria Estadual de Educação. Como resultado, o governo enviou recursos na quinta-feira para que a Etec providenciasse a compra de ingredientes para a merenda de sexta-feira e preparou o fornecimento de mantimentos que servirão a escola por 15 dias.
“Hoje [sexta] chegaram 60 quilos de carne logo cedo, umas 6h30, e a tarde e amanhã [sábado], devem chegar mantimentos para a merenda”, informou o diretor. Com a chegada dos insumos, o Grêmio decidiu cancelar a manifestação. ‘Eles ponderaram e viram que o ato já não teria mais sentido”, disse André Luiz.

REQUERIMENTO
Gaiotto citou que o problema já era de conhecimento do Governo do Estado. Na segunda-feira, 8, após o Grêmio Estudantil pedir a ajuda dos vereadores para a questão da merenda, ele, Robertinho Tavares (Patriotas) e Sônia Módena (PP) elaboraram um requerimento, que foi aprovado ainda na sessão de segunda, pedindo ao Governo de Estado e à Secretaria de Desenvolvimento Econômico, melhorias na alimentação servida aos alunos da Etec.

“Quando estive quarta-feira em São Paulo, o requerimento já estava de posse dos representantes governamentais”, comentou. O vereador elogiou o comprometimento de Zambaldi com a Etec mogimiriana. “Desde que soube do problema, se dedicou para que houvesse uma solução. Inclusive, conseguiu a autorização para que, enfrentando novamente esse tipo de problema, a direção da Etec acione o governo para envio de recursos para compra da merenda”, destacou.

Para que não seja uma solução apenas pontual, Gaiotto agendou uma audiência com o deputado e também com a Secretaria de Desenvolvimento Econômico. Ele estará acompanhado do diretor da Etec e de membros do Grêmio Estudantil para tratar não apenas de uma solução definitiva para a questão da merenda, mas, de outros assuntos da escola. “Já que a nossa escola está recebendo uma atenção especial, vamos reforçar alguns pedidos, principalmente, para a melhoria estrutural’, adiantou André.

O vereador ainda quer ir além. Ele pretende apresentar um requerimento na Câmara, pedindo ao prefeito Carlos Nelson Bueno (PSDB), que estude a possibilidade de firmar convênio com a Etec para que o município passe a fornecer a merenda para os alunos da instituição de ensino.

Segundo ele, a problemática da merenda não aconteceu apenas na unidade de Mogi Mirim. “Também atingiu as Etecs de Itapira e de São Sebastião de Grama, que são as que não tem convênio com os municípios para fornecimento da merenda. As unidades que possuem convênios, não tiveram esse tipo de problema”, justificou.

Estoque de merenda da Etec acabou na quarta-feira, dia 10

Nenhum comentário:

Leave a Reply

Scroll to top