Construção de hospital municipal é questão ‘urgentíssima’, diz prefeito

Flávio Magalhães

O prefeito Carlos Nelson Bueno (PSDB) considera a construção de um novo hospital municipal como questão “urgentíssima” para a Saúde de Mogi Mirim. Em conversa com a reportagem de A COMARCA nesta semana, o chefe do Executivo afirmou que espera que as obras tenham início até o mês de setembro, para serem entregues no primeiro semestre de 2020.

Carlos Nelson projeta que o novo hospital municipal precisa estar em operação quando a intervenção judicial da Prefeitura na Santa Casa de Misericórdia chegar ao fim. “Caso contrário o Município volta à estaca zero, e não podemos voltar”, afirmou o prefeito, destacando que a Saúde pública de Mogi Mirim não pode depender exclusivamente da Santa Casa, como vem ocorrendo até então.

Nesse sentido, o Executivo enviou à Câmara Municipal cinco projetos de lei que tratam do hospital municipal. Quatro deles são questões burocráticas, já que a construção não estava prevista no Orçamento da Prefeitura no ano passado, exigindo adequações na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) e legislações semelhantes.

Já o outro projeto autoriza o Município a contratar um financiamento de aproximadamente R$ 17 milhões junto à Caixa Econômica Federal (CEF) para investimentos no hospital municipal. Caso os vereadores aprovem a proposta, a Prefeitura, que dispõe de outros R$ 10 milhões em recursos próprios para a construção da unidade, totalizará R$ 27 milhões para investir na obra.

Conforme o próprio prefeito anunciou há cerca de duas semanas, o novo hospital municipal deve ser construído no bairro Saúde, região Oeste da cidade, e deve oferecer em sua primeira fase os serviços que até então eram conveniados com a Santa Casa de Misericórdia.


Hospital deve ser construído no bairro Saúde (Foto: Silveira Jr)

Nenhum comentário:

Leave a Reply

Scroll to top