Em volta ao mundo, casal de ciclistas passa por Mogi Mirim

Nove meses de viagem e 15 mil quilômetros percorridos em cima de uma bicicleta. A viagem pelo mundo do casal inglês Ananda Sena e Rubina Soorty teve uma parada para descanso em Mogi Mirim, rota para o Rio de Janeiro, último destino dos aventureiros no Brasil antes de voltarem para a Europa. Eles chegaram no município no final da tarde de quarta-feira, 17, e voltaram para a estrada no sábado, 20.

Ananda e Rubina ficaram hospedados no apartamento de Felipe Antunes, que mora no Condomínio Residencial Elias Moysés, no Jardim Regina, Zona Sul. Foi lá que o casal recebeu a reportagem de A COMARCA na manhã de quinta-feira, 18, para contar um pouco sobre sua história. Eles chegaram até Felipe depois de se cadastrarem no site www.warmshowers.org, uma rede social criada por ciclistas para auxiliar quem viaja de bike a encontrar um lugar para estadia no decorrer de sua jornada.

Felipe, que se cadastrou no site couchsurfing.org, rede social para hospedagem grátis de mochileiros, também havia cadastrado seu apartamento no ‘warmshowers’. “Eles entraram em contato solicitando que podiam ficar por aqui e eu aceitei. Nesse processo de hospedagem a gente se baseia muito em referências. Pesquisei por onde eles passaram e as referências foram positivas”, disse Felipe.

Numa conversa descontraída, durante o café da manhã, o casal contou sobre a sua aventura. Usando o que sabem da língua portuguesa e contando com a ajuda de Felipe para interpretá-los, disseram que saíram de Londres, onde moram, em julho do ano passado. O primeiro destino da viagem foi o Canadá. Por cerca de dois meses, percorreram o país de bicicleta, de leste a oeste.

Depois, viajaram de avião até a Argentina, por onde iniciaram um tour sobre duas rodas pela América do Sul. “Na Argentina, passamos pela Patagônia. Depois estivemos no Chile, na Bolívia e no Paraguai”, comentou Ananda. Da Argentina, para onde retornaram, eles vieram para o Brasil, onde chegaram no final de março. Eles entraram no país por Foz do Iguaçu, onde puderam conhecer as Cataratas do Iguaçu.

Rubina disse ter se encantado com a atração turística. “Estivemos nas Cataratas do Niágara - destino bastante conhecido do Canadá, localizado na fronteira com os Estados Unidos. É muito lindo, mas, as cataratas de Foz do Iguaçu são muito mais belas. É muito mais natural”, destacou a inglesa. Foi em Foz do Iguaçu que eles viram pela primeira vez um quati, um dos animais símbolos da cidade paranaense, pela sua presença constante nas trilhas das Cataratas do Iguaçu.

No território brasileiro, o casal já esteve em cidades como Cascavel/PR, Assis/SP, Bauru/SP e Jaú/SP. E sua última parada antes de Mogi Mirim foi em Limeira. No sábado, Ananda e Rubina retomam o roteiro da viagem. Embora fosse uma pausa para descanso, Felipe os levou na quarta-feira à noite para conhecer a Feira Noturna de Estiva Gerbi, que já se tornou uma atração regional.

E os dois ingleses adoraram o que viram. “Tem muita música e muita comida”, contou Rubina. Como são vegetarianos, não puderam experimentar os famosos quitutes servidos na barraca onde tem baião de dois e feijão tropeiro. Mas, gostaram do suco de milho e do brigadeiro. Nos demais dias em Mogi Mirim, aproveitaram para descansar e costurar as barracas que usam para dormir.

Daqui eles irão passar pelas cidades mineiras de Jacutinga e Pouso Alegre. E ainda farão uma parada em Paraty antes do destino final no Brasil, que é a cidade do Rio de Janeiro. Em cada parada, eles ficam em média de dois a três dias. Mas, no Rio de Janeiro, ficarão pelo menos uma semana. “Queremos conhecer o Cristo Redentor e Copacabana. E aproveitar umas baladas”, brincou Rubina.
Depois, o casal retorna para a Europa. A viagem está programada para o dia 15 de maio. Descerão em Lisboa, em Portugal, de onde iniciam uma nova jornada, pedalando por cidades da Espanha e da França. De barco, atravessarão o Canal da Mancha até chegar na Inglaterra.


A Argentina foi o primeiro destino no tour pela América do Sul

“O que vimos foi um povo amável e gentil, de uma bondade incrível’


Em pouco mais de três semanas no Brasil, o casal Ananda Sena e Rubina Soorty disse ter conhecido um país totalmente diferente do que se ouve e vê na Europa. “Lá, a gente ouve falar que o Brasil é um país perigoso. Mas o que vimos foi um povo amável e gentil, de uma bondade incrível”, destacou Ananda. 

Rubina contou um episódio, já em solo brasileiro, em que procuraram por um padre para poderem dormir na igreja. “O padre, na verdade, pagou para que ficássemos num hotel. As pessoas no Brasil fazem as coisas de coração”, elogiou.

Foi a oportunidade de conhecer diferentes culturas e hábitos, e novos lugares pelo mundo que levaram Ananda e Rubina a deixar a vida que levavam em Londres para desfrutar dos desafios em conhecer o mundo afora. Quem deu o pontapé para viver uma vida de liberdade foi Rubina.

Formada em fisioterapia, ela trabalhou por cerca de seis a sete anos até que resolveu conhecer o mundo em uma bicicleta. Ela já tinha passado um ano viajando como mochileira. Mas, como ciclista, ficou três anos fora de casa. De 2013 a 2016, percorreu sozinha países da Europa, da Ásia, da Oceania, da América do Norte, da América Central e da América do Sul. O ponto final foi a Colômbia.

“Pedalar por todos esses lugares faz você sentir a natureza, é viver a liberdade, é como se você vivesse uma vida selvagem no meio da natureza”, confessou, garantindo que as dificuldades que enfrentam são mínimas diante dos desafios, como quedas, pneus furados, chuvas intensas, sol ardido e tendo que dormir em tendas em fazendas, bosques e até salões paroquias de igrejas quando não encontram hospedagem nas cidades por onde passam.
  
A experiência de Rubina contagiou Ananda. Mas, ele demorou dois anos para seguir o exemplo da namorada. Foi quando ele decidiu deixar o emprego de oculista numa ótica, onde estava há 12 anos, e partir com Rubina para essa viagem que já dura nove meses. “Foi como escapar da vida que a gente levava”, comentou.

Quando voltar para casa, o casal pensa em ‘dar um tempo’ nas aventuras, para que possam constituir uma família com a vinda dos filhos. Ambos estão com 34 anos de idade. E as viagens? “Vamos continuar, mas, por destinos mais próximos da Inglaterra”, frisou Ananda.

Nenhum comentário:

Leave a Reply

Scroll to top