Cinto de segurança e celular resultam em quase 1,7 mil multas em 5 meses

A não utilização do cinto de segurança pelo condutor ou passageiro e o manuseio do celular na direção são as duas maiores causas de autuação em Mogi Mirim. Segundo levantamento da Secretaria de Mobilidade Urbana, foram quase 1,7 mil multas aplicadas para essas infrações de trânsito nos primeiros cinco meses do ano.

Deixar o condutor ou passageiro de usar o cinto de segurança é considerada infração grave, na qual o motorista é punido com cinco pontos na carteira de habilitação e multa de R$ 195, 23. De janeiro a maio, foram 1.093 infrações do tipo em Mogi Mirim, de acordo com os dados divulgados pela Prefeitura.

Quem for flagrado falando ao celular e dirigindo é multado em R$130,17 e soma quatro pontos na carteira de habilitação pela infração média. Já quem manuseia o celular comete infração gravíssima, soma sete pontos na CNH e paga multa de R$ 293,47. Foram 599 infrações do tipo na cidade, em um período de cinco meses.

Dessas 599 multas, 513 foram aplicadas por agentes de trânsito e 86 por Guardas Civis Municipais (GCMs). Vale lembrar que os policiais militares também já têm permissão para multar em Mogi Mirim. Outras infrações registraram um número bem menor de ocorrências. Estacionar em local proibido resultou em 127 multas, enquanto estacionar no passeio, sobre a faixa destinada a pedestre, ciclovia, ciclofaixa ou canteiros ocasionou 123 multas. Avançar o sinal vermelho no semáforo motivou 61 infrações.

CAMPANHA
E é justamente o uso do celular que tem causado maior preocupação. Terceira maior causa de fatalidade no trânsito do Brasil em 2018, de acordo com a Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (Abramet) o uso do celular ao volante aumenta em quatro vezes os riscos de um acidente.

Diante dos riscos e da possibilidade de acidentes e mortes no trânsito mogimiriano, a Secretaria de Mobilidade Urbana, articula, para as próximas semanas, ações relacionadas ao tema, parte do calendário de atividades ligadas à parceria entre a Prefeitura e o Departamento Estadual de Trânsito (Detran), que resultou no convênio junto ao Movimento Paulista de Segurança no Trânsito.

“É necessário o motorista ter a consciência dos malefícios no uso do celular na direção. Estamos falando da vida do motorista, da sua família e dos pedestres, tudo está em jogo. Queremos despertar isso no cidadão e conscientizá-lo sobre os riscos”, alertou a secretária interina de Mobilidade Urbana, Tânia Guimarães.



Nenhum comentário:

Leave a Reply

Scroll to top