Após correção de estatuto, Barone assume presidência do Sinsep

Ana Paula Meneghetti

Após uma correção no artigo 20 do estatuto do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Mogi Mirim (Sinsep), colocando fim nas dúvidas quanto à linha sucessória do sindicato, o ex-tesoureiro David Barone assumiu oficialmente a presidência do Sinsep, na última segunda-feira, 2. A alteração foi aprovada com 90% dos votos válidos, em assembleia estendida, realizada no período de 8 a 23 de agosto.

Em entrevista à reportagem, Barone explicou que o estatuto era omisso em caracterizar a linha de sucessão na presidência somente até o secretário-geral. A mudança foi necessária depois da morte do então presidente do Sinsep, Luciano Ferreira de Mello, no dia 30 de julho. “Um cargo que não almejava, mas as circunstâncias me levaram a isto”, afirmou ex-tesoureiro, em informativo da entidade.

Para evitar que as atividades do Sinsep fossem interrompidas, a primeira medida emergencial da diretoria plena foi empossar Barone como presidente interino. A segunda, depois de diversas consultas jurídicas, foi abrir a assembleia permanente para que os associados pudessem votar contra ou a favor da correção. A mudança do estatuto elimina, inclusive para as próximas diretorias, qualquer margem para dupla interpretação.

O documento limitava a sucessão e ainda não fazia referência sobre quais atitudes tomar em caso de morte, ou até mesmo doença, e nem mesmo definia se seria necessária uma nova eleição. Como 1º tesoureiro, Barone não teria previsão legal para assumir a presidência, uma vez que a redação anterior não previa essa possibilidade. No entanto, os outros três cargos da linha de sucessão (vice, secretário-geral e 1 º secretário), entre o presidente e o tesoureiro, estavam vagos.  Isso porque a vice-presidente Rosângela Elizabeth de Souza renunciou logo depois do início do mandato, a secretária-geral Valdirene Araújo foi despedida do serviço público, enquanto a 1ª secretária Elaine Cristina Moraes Justino pediu demissão do cargo para trabalhar em outra cidade.

Com a alteração do artigo, em caso de impedimento temporário de um diretor ou ocorrendo vacância do cargo na diretoria plena, assumirá o cargo subsequente. Agora, a vaga de 1º tesoureiro passou a ser ocupada por Denílson Catini, antes 2º tesoureiro.
Resultado da votação

De acordo com balanço divulgado pelo Sinsep, dos 1.135 associados com direito a voto, 435 assinaram a lista de presença de votação. Destes, 383 associados votaram a favor da correção do estatuto, enquanto 42 foram contra a mudança. Dez tiveram seus votos invalidados. O número total de associados para se estabelecer quórum necessário é de 378. “Ou seja, todas as formalidades legais foram cumpridas”, destacou o sindicato, em informativo.

MESMA LINHA
David Barone atuou como guarda civil municipal há 26 anos. Desde abril de 2017, estava licenciado da corporação, já atuando no Sinsep, o que ele acredita ter sido um ponto positivo para esse momento de transição. Barone garantiu que dará prosseguimento ao trabalho iniciado por Mello, tentando ampliar as vantagens aos servidores, especialmente na parte social, o que inclui uma maior atenção os serviços médicos e odontológicos. “Vamos continuar com a mesma linha de raciocínio, a mesma transparência”, declarou o atual presidente.

Barone disse que pretende colocar em prática, com afinco redobrado em memória ao companheiro, as ideias planejadas desde a primeira reunião da diretoria. De acordo com o presidente, o Sinsep já começou a orçar os equipamentos para mais um consultório odontológico. Outra meta, ainda para este ano, é aumentar a capacidade de atendimento em, pelo menos, 30%, diminuindo o tempo de espera dos associados. O mandato de Barone segue até 31 de março de 2021.


Barone assumiu oficialmente a presidência, com mandato até 2021 (Foto: Divulgação)

Nenhum comentário:

Leave a Reply

Scroll to top