Manara conquista 2 ouros no Parapan e vaga em Tóquio

Diego Ortiz

Duas medalhas de ouro nos Jogos Parapan-Americanos de Lima, chegando a quatro no total de sua carreira, e a vaga garantida nos Jogos Paralímpicos de Tóquio, em 2020. Sobraram celebrações para o mesatenista mogimiriano Luiz Felipe Guarnieri Manara como resultado da competição promovida entre agosto e setembro, no Peru.

O mogimiriano conquistou um ouro na disputa individual na Classe SM8, o que lhe garantiu a vaga para Tóquio, e outro por equipe.

Em 2015, Manara já havia conquistado dois ouros nos Parapan-Americanos de Toronto, no Canadá, totalizando, agora, quatro medalhas douradas na competição. Em termos técnicos, a disputa no Peru foi considerada mais difícil em relação a do Canadá. “Com certeza, foi mais complicada pelo fato de que deu uma rejuvenescida muito grande na categoria. Só por essa característica foi mais difícil, de ter adversários novos, que eu nunca tinha jogado antes”, observou.

Um desses adversários foi justamente o da final individual, em que superou Steven Roman, da Costa Rica, de 16 anos, o atleta mais novo da categoria, por 3 sets a 1, com parciais de 11/9, 9/11, 11/9 e 12/10. Com duelo equilibrado, Manara acredita que o fator experiência foi fundamental para assegurar a vitória no jogo que valia, além do ouro, uma vaga em Tóquio. “Todos os sets foram na diferença mínima, eu acho que foi muito a questão da maturidade, da concentração para fazer os pontos decisivos. Foi um jogo que ganhei muito na questão da concentração porque a todo momento, eu estava pressionado”, explicou.

Embora nunca o tivesse enfrentado, o mogimiriano já havia assistido alguns jogos do costa-riquenho no Mundial do ano passado. “Ele me surpreendeu um pouco porque estava num nível bem superior, coisa até normal, porque atletas mais novos tendem a evoluir mais rápido. Foi um muito difícil, tive um pouco de dificuldade com o estilo de jogo dele”, reconheceu.

Já na disputa por equipe, como já estava escalado, Manara acabou indo para um duelo das semifinais, com muitas dores, como resultado de uma lesão sofrida no jogo anterior. Com dificuldades, a partida caminhava para uma derrota do mogimiriano, que se superou. “Eu consegui virar o jogo. Cheguei meio a que chorar no meio do jogo, mas, algo dentro de mim, conseguiu me dar uma tranquilidade para eu achar o caminho”, contou o atleta, que, lesionado, não pôde disputar a final diante dos Estados Unidos, mas assistiu seus companheiros fazerem sua parte e garantirem o ouro da equipe.

Manara conta com os apoios da Marklub, Nissan Kento, Morecap e Bar do Tina.


Manara contempla o ouro conquistado no Parapan (Foto: Exemplus/CPB)

Nenhum comentário:

Leave a Reply

Scroll to top