Homem que matou ex a golpes de facão foi preso em Jacutinga

Menos de 24 horas após o crime, policiais civis de Mogi Mirim e Jacutinga (MG) prenderam, na noite de quinta-feira, 7, Juarez Pedro Ferreira, 54, acusado de feminicídio, por ter matado a ex-companheira, Genezia Souza, 43, a golpes de facão, na noite de quarta-feira, 6.

Ele também feriu gravemente a enteada, Rafaela, 23, que teve a mão esquerda decepada e está internada na UTI da Santa Casa. Juarez estava escondido em um sítio de um amigo, na cidade de Jacutinga, para onde ele fugiu após praticar os crimes.

A propriedade rural fica às margens da MG-290 (Jacutinga/Ouro fino), no bairro rural do Piniel, distante cinco quilômetros dessa cidade mineira. Segundo os investigadores da SIG (Setor de Investigações Gerais), policiais civis mineiros os alertaram sobre a possível presença de Juarez no sítio.

Por volta das 21h, uma equipe de policiais de Mogi (Jairo, Tibúrcio e Hélio) e os investigadores Bruno e Adélcio, de Jacutinga, cercaram o local e, após entrarem na sede do sítio, localizaram Juarez escondido embaixo de uma cama.  O dono da propriedade, que é amigo do acusado, disse que não sabia nada sobre o feminicídio. Ele acabou liberado.

Já Juarez foi ouvido ainda na noite de ontem pela delegada Raquel Casalli, que está à frente das investigações. O depoimento entrou madrugada adentro. O acusado disse que estava “arrependido” e disse que, antes de ser preso, pensou em “dar um fim a sua vida”. No entanto, a postura dele ao ser preso intrigou os policiais.

“Ele não demonstrou emoção alguma. É uma pessoa fria”, disse um dos agentes que participou da captura do acusado. Como já havia um pedido de prisão preventiva contra Juarez, ele foi encaminhado nesta sexta-feira, 8, para a Unidade de Triagem, Detenção e Encaminhamento de Itapira

O CRIME
O crime que chocou a cidade aconteceu na rua Angelina Resente, Parque das Laranjeiras, por volta das 20h. Armado com um facão, ele desferiu vários golpes na ex-mulher, com quem viveu por seis anos e estava separado há um mês.

Juarez, que tem um bar no mesmo bairro, não se conformava com o fim de um relacionamento. A vítima chegou a ser socorrida, mas acabou morrendo na madrugada de quinta-feira, 7, em decorrência de cortes profundos sofridos na cabeça, braços e pernas.

Até ontem, Rafaela continuava internada na UTI da Santa Casa e seu estado de saúde ainda era muito crítico. Na noite do crime, familiares e vizinhos de Genezia atearam fogo na casa e no bar de Juarez, que funciona no mesmo imóvel. O Corpo de Bombeiro foi acionado e conseguiu controlar as chamas.

Policiais civis de Mogi Mirim e Jacutinga trabalharam juntos para a prisão do acusado (Foto: Reprodução)

Nenhum comentário:

Leave a Reply

Scroll to top