Homem é preso após agredir esposa cadeirante

Os casos de violência contra a mulher estão crescendo assustadoramente em Mogi Mirim. Além de dois feminicídios ocorridos em novembro, pelo menos três casos de violência doméstica, somente nos últimos dias, envolvendo agressões contra mulheres, foram registrados na Delegacia Central.

O caso mais grave aconteceu no domingo, 1º, quando o desempregado José Roberto Balico, 67, foi preso, acusado de agredir a companheira, uma aposentada de 57 anos, que é cadeirante. Os Guardas Civis Municipais (GCMs) Nardon e Procópio narraram que por volta das 11h30 do domingo foram acionados para atenderam a um caso de violência doméstica em um condomínio de apartamentos situado à rua Padre José Joaquim de Oliveira Brazi, no Jardim Linda Chaib (Zona Leste).

Quando chegaram ao local, os GCMs encontraram a cadeirante no corredor do prédio. A princípio, ela negou as agressões. No entanto, uma testemunha contou aos agentes que ouviu muitos gritos e que a aposentada estava sendo realmente agredida pelo companheiro.

Após se acalmar, ela acabou confessando que vem sendo sistematicamente agredida pelo companheiro, que, inclusive, usa uma faca de cozinha para ameaçá-la. Disse que empurrões, murros e tapas são comuns. Indagada pelos GCMs sobre uma marca vermelha em seu rosto, a cadeirante contou que o companheiro havia jogado água quente.

Apesar de ter negado veementemente as agressões, Balico acabou preso. Na audiência de custódia, a Justiça acabou pedindo a prisão preventiva dele, que foi transferido para a Unidade de Detenção, Triagem e Encaminhamento de Itapira (UTDE), onde aguarda remoção para o sistema prisional do Estado.




Nenhum comentário:

Leave a Reply

Scroll to top