Passeata contra a violência reúne familiares de vítimas de feminicídio

Uma passeata realizada na manhã deste domingo, 1º, na região central de Mogi Mirim chamou a atenção para os casos de violência contra mulheres. A manifestação reuniu familiares e amigos de vítimas de feminicídio. Somente no último mês de novembro, por exemplo, a cidade registrou duas ocorrências do tipo.

Cerca de 100 manifestantes se concentraram na Praça Rui Barbosa, por volta das 9h, e seguiram em passeata rumo ao Espaço Cidadão, pela Rua Conde de Parnaíba. Eles empunhavam cartazes e faixas em memória das vítimas de feminicídio, além de flores e balões brancos. Durante o trajeto, gritaram o nome de Genezia Souza e Mariana Mafei, mortas recentemente pelos seus ex-companheiros.

O caso mais recente foi o de Mariana. Ela foi morta a tiros pelo ex-namorado, Adenilson Prado, na noite de 23 de novembro, uma vez que ele não aceitava o fim do relacionamento. Adenilson cometeu suicídio em seguida. Caso semelhante ao de Genezia Souza, que morreu após sofrer diversos golpes de facão do ex-companheiro Juarez Ferreira, no dia 6. Ele chegou a fugir, mas foi pego pela Polícia Civil menos de 24 horas depois do crime.

Diversos familiares de Genezia compareceram ao protesto, incluindo Rafaela, que sofreu ferimentos graves e teve uma das mãos decepadas ao tentar defender a mãe. Também estiveram presentes autoridades, como a vereadora Sonia Módena (PP), que organizou a passeata, e a secretária de Segurança Pública de Mogi Guaçu, Judite de Oliveira.

O ato final se deu no Espaço Cidadão, ao lado da antiga estação ferroviária. No local, foi feito um minuto de silêncio e flores foram depositadas sobre os cartazes e faixas, em memória das vítimas.

Rafaela, filha de Genezia, compareceu acompanhada por familiares (Foto: Flávio Magalhães/A COMARCA)

Passeata seguiu pela Rua Conde de Parnaíba, na região central de Mogi Mirim (Foto: Flávio Magalhães/A COMARCA)

Durante o trajetos, os nomes de Genezia e Mariana foram lembrados (Foto: Flávio Magalhães/A COMARCA)

Ato final se deu no Espaço Cidadão, ao lado da antiga estação ferroviária (Foto: Flávio Magalhães/A COMARCA)

Balões brancos foram soltos pelos manifestantes no Espaço Cidadão (Foto: Flávio Magalhães/A COMARCA)

Flores foram depositadas sobre faixas e cartazes, em memórias das vítimas (Foto: Flávio Magalhães/A COMARCA) 

3 comentários:

  1. Deus conforta mais e mais essa jovem.. Seus irmaos. Toma em. Suas maos e trata o coração delas... ������

    ResponderExcluir
  2. Que coisa linda e triste ao mesmo tempo...Linda em ver que Mogi agora vê que a mulher é vítima mesmo, reconhece o feminicidio..triste por ver que precisou acontecer pra população acordar..que a partir de hj, as autoridades, os vizinhos, os amigos, qd uma mulher se abrir, em vez de falar "pq nao larga", socorra! Antes que o pior aconteça!

    ResponderExcluir
  3. Q Deus conforte os coracoes de todos os familiares, e parabens por essa passeata em memoria da Genezia e de muitas outras mulheres vitimas desses tipos de monstros .

    ResponderExcluir

Scroll to top